Granjas do Centro-Oeste passam dificuldades

Da Redação 

O baixo preço pago pelos frangos ameaça fechar granjas no Centro-Oeste. Se não bastasse, a crescente alta nos custos também castiga os produtores. 

A região é a terceira maior produtora do estado. Entre os municípios mineiros, São Sebastião do Oeste é o segundo no ranking com maior plantel de avicultura de corte, segundo dados da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Os últimos números divulgados são referentes a 2015. 

Naquele ano, o município vizinho a Divinópolis contava com 10,1 milhões de cabeças. São Sebastião só estava atrás apenas de Uberlândia, com 13,6 milhões. Pará de Minas ocupava a terceira posição, com 9,4 milhões. 

Ameaça 

Apesar da grandeza dos números, muitos produtores da região estão preocupados. Temem que o Centro-Oeste acabe perdendo o posto de vice-campeã na produção de frango. 

Sob anonimato, alguns deles relataram dificuldades ao Jornal Agora. Eles pediram para não ser identificados porque alguns têm medo de, em represália, perderem grandes clientes da região. 

—  Muita gente acredita que produzir frango é simples. Mas não é. Nossos custos com mão de obra e energia elétrica são altíssimos. Temos outros gastos com lenha, cama, etc. A tendência é que sobrevivam só os produtores que desenvolvem alguma atividade paralela à produção de frango — comenta um deles. 

Segundo os produtores, mesmo quando o preço de venda ao consumidor melhora, o valor pago a eles não tem alteração. 

— Se continuar dessa forma, não haverá outra forma a não ser mudar de ramo —afirma outro produtor. 

Mobilização 

Os produtores estão estudando uma forma de se unirem para reivindicarem melhores condições tanto junto aos grandes compradores quanto por parte dos poderes públicos. Eles estão reunindo também dados mais detalhados sobre o setor na região para começarem a divulgar. 

Comentários
×