Grande dia

Grande dia

 

Após meses de sonoros choros contrários e tímidas defesas à proposta de reajuste do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), a tormenta se avizinha. Galileu cedeu à pressão popular e aliviou o cinto em alguns trechos do texto enviado à Câmara. Os detalhes estão em reportagem na página 3.

 

Extraordinária...

 

O presidente da Casa, Adair Otaviano, usufruindo da vantagem de adiar a votação obrigatória da Lei Orçamentária Anual (LOA), convocou para amanhã de manhã, aos 40 do 2º tempo, a apreciação da proposta do Executivo, que agora prevê arrecadar R$ 55 milhões com o imposto em 2018.

 

...que promete

 

Cientes do agendamento da votação, alguns internautas se mobilizam. Não deverão estar em suas casas assistindo via TV Câmara, mas sim na plateia do plenário, mostrando cartazes e faixas contra o aumento do IPTU. Pelo tom do que dizem em grupos como o "Ação Política", os vereadores votarão com a faca no pescoço. Há rumores de que quem votar a favor terá a cabeça mostrada em praça pública – não tal qual Tiradentes, mas por meio de outdoors. Os carrascos já sussurram em seus ouvidos: "Se votar, não volta".

 

Contra o aumento...

 

Edson Sousa, que se diz contra o aumento do IPTU desde que o texto original foi enviado à Câmara, dá seus últimos tiros. Ele divulgou um estudo elaborado com números fornecidos pela Prefeitura, pelo Estado, pelo IBGE e pela Associação de Municípios Mineiros. Segundo o vereador, o IPTU em Divinópolis já está 222,82% acima da média no Centro-Oeste.

 

...até o fim

 

Na comparação com o imposto cobrado em Lagoa da Prata, a divina cidade cobra 247% a mais, aponta o vereador. "Divinópolis está 6,6% acimada média das 100 cidades que mais arrecadam”, acrescenta.O levantamento também aponta um aumentomédio de 6,7% nos últimos dez anos, que põe a city entre aquelas com IPTU mais caro por habitante em Minas. “Com o projeto apresentado, é bem provável que passe a integrar as quatro cidades com IPTU mais caro por morador no estado”, pontua.

 

Mutirão de reza

 

É possível imaginar fiéis unidos em oração na prefeitura. Clamando aos deuses da Câmara que ouçam suas preces e deem aquele empurrãozinho bom para aprovar o aumento no IPTU. Pois por lá a coisa anda tão feia que já tem até decreto de calamidade na Saúde (anunciado às pressas no fim da tarde de ontem, sem a merecida coletiva de imprensa). Um recado direto aos que não são donos da caneta, mas fornecem a tinta.

 

Grand finale

 

Também foi marcada uma extraordinária para a manhã de sábado, 30. Serão votados o Plano Plurianual (PPA) para o período de 2018 a 2021 e outros dois textos legislativos: um que orça a receita e fixa a despesa para o exercício de 2018 e outro que autoriza a concessão de subvenções, auxílios financeiros e contribuições e contém outras providências. Haja vela!

 

Obrigado, mas...

 

Após Edson Sousa perder a paciência com uma simples pergunta e gritar com repórteres (dentre os quais eu), alguns vereadores saíram em defesa da imprensa durante seus pronunciamentos de terça-feira, 26. Dr. Delano e Marcos Vinícius foram os mais enfáticos. O primeiro citou uma indisposição que teve com jornalista, mas relevou porque entende que somos necessários. O segundo disse que sem nós o povo não saberia das denúncias que chegam à Câmara. Bonito, mas óbvio. Poderiam ter queimado o tempo puxando mais fortemente a orelha do colega pela falta de respeito com profissionais no exercício da profissão. A reportagem consiste em fazer perguntas de interesse público e que lancem luz sobre aspectos até então obscuros. Alguém com tanto tempo de vida pública já deveria ter se acostumado com isso.

Comentários
×