Governo do Estado rejeita proposta da Vale

Pollyanna Martins

O Governo do Estado rejeitou a proposta feita pela Vale, referente ao acordo de reparação da tragédia de Brumadinho (MG). O episódio completará dois anos na próxima segunda-feira (25), até o momento 259 corpos foram resgatados e 11 pessoas permanecem desaparecidas. De acordo com o secretário-geral do governo mineiro, Mateus Simões, não haverá mais audiências.

A Vale terá até dia 29 de janeiro para apresentar uma proposta que atenda às expectativas do executivo estadual. Do contrário, o processo que julga a tragédia retomará sua tramitação normal na primeira instância do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e caberá ao juiz Elton Pupo Nogueira sentenciar os termos da reparação.

A negociação interfere diretamente em Divinópolis, pois as obras do Hospital Público Regional Divino Espírito Santo seriam finalizadas com parte deste recurso, conforme anunciado pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).  O anúncio foi feito no dia 29 de abril do ano passado. Na época, Zema afirmou que a finalização da obra faria parte de uma série de ações que iriam somar R$ 645 milhões em investimentos. O governador disse ainda que os recursos estavam garantidos pela Justiça como parte das medidas compensatórias homologadas entre o Estado e as empresas Vale e Samarco.

Negociações

As negociações envolvem o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), o Ministério Público Federal (MPF), a Defensoria Pública da União e a Defensoria Pública do estado. Em nota, o MPMG disse que as negociações estão encerradas, e que as instituições não poderiam abrir mão de que a Vale faça o ressarcimento completo de todo o dano resultante da tragédia. “Ou seja, reparação integral do meio ambiente, ressarcimento ao Estado e atendimento aos atingidos", diz o texto.

 

 

 

Comentários
×