Gerente de Trânsito da Settrans sofre ameaças

 

Ricardo Welbert  

A Polícia Civil investiga um caso de ameaça e desacato contra o gerente de Projetos, Trânsito e Transportes de Divinópolis, Lucas Lopes Estevam, por meio do aplicativo WhatsApp. O autor já foi identificado e prestou depoimento anteontem. O Agora teve acesso à íntegra das mensagens trocadas como o servidor público, mas não cita o nome do suspeito nesta reportagem porque não conseguiu contato com ele.  

O caso começou em um grupo de WhatsApp no qual alguns usuários questionaram a formação de Lucas para o exercício da função. Ele é formado em engenharia elétrica. Segundo os críticos, precisava ser formado em engenharia de trânsito. Fato que a Prefeitura contesta, ressaltando que a formação de Lucas não o impede de ser engenheiro de trânsito, mas o capacita ao cargo de gerente.  

Após essa discussão, o número do celular de Lucas foi compartilhado. A partir daí, um homem o chamou e o culpou por um problema mecânico em seu caminhão. Disse que uma mudança de sinalização feita pela Secretaria de Trânsito e Transportes (Settrans) no bairro Interlagos motivou o dano.  

— Cara vc e burro????? Onde estudou??? Fikativo fazer uma cagada dessa! Tu ta cagando na cidade de Divinópolis....vc deve ser parente do Galileu ou alguem dentro da camara...é um incapacitado! (sic) — diz o homem a Lucas. 

No trecho seguinte, insinua ser capaz de encontrar Lucas para acertar contas com ele pelo prejuízo que afirma ter tido. E também volta a ofender o gerente.  

— Tive prejuizo essa semana e n vou fikar c eli sozinho...do msm jeito q axei seu contato posso achar sua casa! Da seu jeito seu burro! Vai puxar carroça ! (sic) — escreveu. 

Advogados da Prefeitura orientaram Lucas a procurar a Delegacia de Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência. O servidor público entregou uma cópia da conversa aos investigadores, que telefonaram para o número pelo qual a ameaça e as ofensas foram feitas a Lucas.  

O homem esteve na delegacia anteontem e prestou depoimento. Mas depois divulgou o celular de Lucas em um comentário no Facebook.   

— 8825-[complemento preservado pelo Agora]. ai o Watszap dele ...Lucas Estevam sobrinho do Galileu... (sic) — publicou o homem.  

De acordo com Wendel Santos de Oliveira, procurador da Prefeitura, o gerente de Trânsito e o prefeito Galileu Machado (MDB) não têm qualquer parentesco. Por causa disso, o homem foi novamente chamado à delegacia.  

— Além do grave crime de ameaça à segurança pessoal de Lucas, há também o quadro de desacato a um servidor público. Quando insinua que o gerente de Trânsito é parente do prefeito, ele comete crime contra a administração pública ao expor os dois ao constrangimento. Ao divulgar o celular de Lucas, instiga outras pessoas a acioná-lo, gerando perturbação do sossego. São comportamentos que violam os direitos dos servidores públicos como cidadãos. Esse agressor corre o risco de ter prisão preventiva decretada — explica o procurador.  

Com medo de sofrer algum tipo de represália por parte do agressor ou mesmo por outras pessoas que tiveram acesso ao celular dele na internet, Lucas prefere não comentar o caso até a conclusão do inquérito.  

A investigação está a cargo do delegado de Trânsito, Marcelo Nunes Júnior. A reportagem tentou contato com ele na tarde de sexta-feira, 16, mas não conseguiu.  

 

Comentários
×