Geno perde na justiça e shows seguem

Jorge Guimarães

A separação de uma das duplas mais queridas do Brasil, Gino & e Geno é marcada por muita polêmica e reviravoltas. Desde que Geno resolveu dar um tempo para ficar mais próximo da família, segundo sua justificativa, muitas conversas surgiram em torno do assunto. Muitas tidas como mentirosas e condenada por ele e seu ex-companheiro e cunhado, Gino. Mas de todas estas informações, uma é verídica. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), autorizou a Sebastião Ribeiro de Almeida, o Gino, na última sexta-feira, 8, a  seguir fazendo os shows. As apresentações, que chegam a um total de 100 até o fim do ano, poderão ser feitas com o nome da dupla, Gino & Geno, ao lado do substituto Mauro Avante. Mas. a briga não deve parar por aí, e os próximos capítulos podem ser dignos de enredo de novela.

Separação

No início de 2019, os amantes da música sertaneja ficaram perplexos com o anúncio da separação da dupla. O fim da união teria ocorrido pelo fato de Geno decidir em se dedicar mais à família.  Conforme comunicado, na época pelo empresário Wagner Tadeu de Paula, o Waguinho, Gino seguiria fazendo shows já com um novo componente, Mauro, que fazia dupla com Avaí, com o nome de Avante.

Tudo parecia acertado, tanto é que Gino postou um vídeo em uma rede social já ao lado de seu novo parceiro. Depois de apresentá-lo, inclusive anunciou o lançamento de uma nova música de trabalho.

Reviravolta

Mas, em uma reviravolta, dias depois, Geraldo Alves dos Santos, o antigo Geno, postou um vídeo na rede social Instagram dizendo que havia ocorrido um mal-entendido. Nele, Geraldo explica que sua identidade, a de Geno, foi construída ao longo de 50 anos de carreira, dentre outras ponderações. 

Justiça

Diante dos fatos, o empresário Waguinho, entrou na justiça contra Geraldo Alves dos Santos, para que a atual dupla Gino & Geno seguisse cumprindo uma agenda de cerca de 100 shows até o fim do ano.

Decisão

O agravo de instrumento teve como relator o desembargador Tiago Pinto, que tomou a seguinte decisão:

“Por todo o exposto, recebe-se o recurso nos efeitos devolutivo e suspensivo para suspender a decisão recorrida. Informe-se ao magistrado de primeiro grau, imediatamente e por via expedita. Intime-se imediatamente a parte agravada para apresentar resposta ao recurso, no prazo legal”.

A reportagem tentou insistentemente falar com Geno durante todo dia para que ele pudesse se posicionar sobre a decisão, mas não conseguiu.

Comentários
×