Gastos com selos aumentam 49% na Câmara de Divinópolis

 

Pollyanna Martins

 Os vereadores gastaram, apenas no primeiro mês de 2018, mais de R$ 2 mil com selos. De acordo com os dados do Portal da Transparência do Poder Legislativo, a manutenção dos gabinetes custou aos cofres públicos mais de R$ 6 mil apenas em janeiro.

Desde o fim do contrato com a locadora de veículos, no final do ano passado, os gastos com os gabinetes ficaram divididos em material de consumo, ligações e selos. Conforme o levantamento, os gastos com postagem tiveram um aumento de 49,3%, passando de R$ 1.388,67 para R$ 2.074,05.

Já com material de consumo os parlamentares foram um pouco mais econômicos neste ano em relação a 2017. No ano passado, os vereadores utilizaram R$ 3.693,37, contra R$ 3.290,83 neste ano. O vereador que mais gastou com material de consumo foi César Tarzan (PP): R$ 477,26. Já Janete Aparecida (PSD) não teve nenhum gasto com material de consumo em seu gabinete.

Ainda segundo os dados do Portal da Transparência, os selos custaram aos cofres públicos R$ 2.074,05. O presidente da Casa, Adair Otaviano (MDB), foi quem mais gastou com postagem, R$ 636,87; em seguida, ficou Eduardo Print Júnior (SD), com um gasto de R$ 505,03. Os vereadores Ademir Silva (PSD), Delano Santiago (MDB), Edson Sousa (MDB), Janete Aparecida, Nego do Buriti (PEN) e Rodrigo Kaboja (PSD) não tiveram gastos com selos no primeiro mês do ano.

Segundo as informações do Portal da Transparência, os gastos dos parlamentares com ligações foram de R$ 717,42. As despesas com telefonemas diminuíram 20% se comparadas com o mesmo período de 2017, quando custaram R$ 905,63 aos cofres públicos.

Gasolina

Ainda conforme os dados do Portal da Transparência, os gastos gerais dos vereadores tiveram uma diminuição de 36%, na comparação com janeiro do ano passado. No primeiro de 2017, os gabinetes dos vereadores custaram aos cofres públicos R$ 9.571,50; já em janeiro deste ano, os gastos foram de R$ 6.082,30. Parte desta diminuição se deve justamente ao fim da locação de veículos.

Apenas com gasolina, a Câmara gastou R$ 3.384,19 em janeiro do ano passado. Outro corte feito no Poder Legislativo foi o do telefone celular. A medida trouxe uma economia de R$ 199,64 ao Poder Público, comparando-se com o mesmo período do ano passado. Apenas o gabinete da presidência teve gastos com gasolina, de R$ 147,21.

Econômico 

As informações disponibilizadas no Portal da Transparência apontaram ainda que o vereador mais econômico em janeiro deste ano foi Rodrigo Kaboja. Ele gastou com o seu gabinete apenas R$ 55,67. Já o gabinete de Adair Otaviano foi o mais caro aos cofres públicos, no primeiro mês do ano, com um gasto de R$ 989,74.

 

Comentários
×