Gasoduto ligando Betim a Divinópolis sai do papel

Anúncio é da Gasmig; projeto deve receber R$ 300 milhões nos próximos três anos

Da Redação 

A promessa de um gasoduto ligando Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a regiões do interior do estado, que começou em 2013, quando o então governador Antonio Anastasia (PSDB) a fez, finalmente sairá do papel.  Na época, o Governo de Minas acertou uma proposta para viabilizar a chegada do gás natural até Uberaba, no Triângulo Mineiro. Passava por Divinópolis, Araxá e chegava à cidade do Triângulo. Depois do anúncio, muitos municípios localizados entre as duas cidades enxergaram a possibilidade de “pegarem uma carona” na obra, já pensando num provável crescimento econômico.

O então prefeito de Divinópolis naquele ano, Vladimir Azevedo, esperava não perder a oportunidade de um investimento da ordem de R$ 2 bilhões nas obras de um gasoduto que passaria pela cidade gerando muitos empregos. 

Divinópolis 

Sete anos depois, com outros gestores no Estado e no Município, o projeto vai começar a andar. Tempo que foi usado também para sanar os principais gargalos que impedem o crescimento econômico de Divinópolis e região, como a duplicação da MG-050. Parte dos problemas resolvidos, alguns deles já com o governador Romeu Zema (Novo), a Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) anunciou na semana passada que vai tocar o projeto, porém alterado. Virá, por enquanto, apenas até Divinópolis. O presidente da companhia, Pedro Magalhães, falou na última semana sobre a expectativa de abertura de capital da estatal, além dos investimentos na expansão da rede de oferta de gás nos municípios mineiros. 

A previsão é de um investimento na ordem de R$ 80 milhões. O presidente citou o projeto de construção do gasoduto entre Betim, na Grande BH, e Divinópolis, que deve receber R$ 300 milhões nos próximos três anos.   

— O projeto vai sair de Betim, seguir em Igarapé, Juatuba até Divinópolis. Esse é o maior projeto que temos hoje, investimento pelos próximos três anos para fazer um gasoduto deste porte, com investimento de R$ 300 milhões — disse Pedro Magalhães.

A concretização deste projeto não significa somente geração de emprego e investimento na cidade, mas também a redução do preço do produto. Com a construção do gasoduto, o transporte por carretas e caminhões não será mais necessário.

Comentários
×