Gás de cozinha já chega a R$ 65 em Divinópolis

Preço sobe novamente e produto fica 5,6% mais caro

 

Pablo Santos

O preço do botijão de gás já subiu 3% na cidade em setembro e um novo aumento começa a vigorar na última terça-feira, reajuste de 2,6%. Pela nova política de preços adotada pela Petrobras, o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) será revisado todos os meses. Em Divinópolis, até o começo da semana, o gás poderia ser encontrado até R$ 65.

De acordo com os dados da Agência Nacional do Petróleo (Anp), o gás de cozinha estava cotado a R$ 58,59 até 23 de setembro nos estabelecimentos comerciais da cidade. Em agosto, o GLP custava R$ 56,85. Comparado os dois períodos, o gás subiu 3,06% na cidade.

Até o começo da semana, era possível encontrar o botijão de 13 quilos no menor valor a R$ 50 e, no maior, a R$ 65. No Brasil, o preço médio do botijão foi de R$ 60,14 na semana passada. Desde o começo do ano, o preço do GLP na cidade estava com preço estável em R$ 56, o botijão de 13 quilos.

No entanto, a instabilidade no preço deve marcar novas altas do GLP.

Segundo aumento 

O Grupo Executivo de Mercado e Preços (Gemp) da Petrobras foi o responsável em elevar o preço em 6,9%.

— Este reajuste repassa a variação de preços do mercado internacional apresentada ao longo de agosto conforme política anunciada pela companhia — afirmou a estatal em nota.

É o segundo aumento em apenas um mês. No começo de setembro, a Petrobras já havia anunciado uma alta de 12,2% no preço do botijão de gás, citando os impactos da tempestade Harvey na principal região exportadora do produto, além de uma situação da baixa oferta.

Conforme a Petrobras, a decisão desta segunda-feira aplica-se exclusivamente ao GLP de consumo residencial em botijões de 13 kg e o ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos.

Caso seja repassado para o consumidor, a Petrobras calcula que o preço do gás pode ser reajustado, em média, em 2,6%, ou cerca de R$ 1,55 por botijão, ou seja, pode custar na cidade a R$ 66,55, caso os revendedores apliquem o reajuste.

Em agosto, a Petrobras reajustou o preço do gás de cozinha residencial em 6,9%. Em julho, a Petrobras reduziu em 4,5%, após ter aumentado o valor em 6,7% no mês anterior.

 

Comentários
×