Galileu Machado diminuirá secretarias

 

 

Pollyanna Martins 

O novo organograma da Prefeitura será enviado para votação na Câmara até a próxima semana. De acordo com uma fonte do alto escalão do Poder Executivo, uma das primeiras informações sobre as mudanças é que o prefeito Galileu Teixeira Machado (MDB) irá extinguir as secretarias de Esporte e Cultura. Ambas passarão a ser diretorias.

Ainda segundo a fonte, a Secretaria Municipal de Cultura será incorporada à de Educação, pasta de Vera Prado, e a de Esportes e Juventude será aglutinada à de Desenvolvimento Econômico e Turismo, de José Alonso Dias.

Há um ano, o Poder Executivo anunciou, por meio da secretária municipal de Fazenda, Suzana Xavier Dias, da secretária de Administração, Orçamento e Informação, Raquel de Oliveira Fritas, e do procurador do Município, Wendel Santos de Oliveira, que a reforma administrativa seria feita como medida de economia. A elaboração do organograma foi regulamentada pelo Decreto 12.556/2017, publicado no Diário Oficial dos Municípios Mineiros, no dia 6 de abril do ano passado. A norma estabelecia uma análise de redução do quantitativo dos cargos em comissão e do número de secretarias por meio da criação de um novo organograma. Na época, o procurador do Município informou que o organograma implicará em extinção e aglutinação de secretarias, além da redução de cargos comissionados nomeados, e que as mudanças seriam divulgadas no meio de 2017.

– A previsão do prefeito é que estas mudanças aconteçam até o meio do ano [2017]. O Ricardo Moreira, que é assessor de governo, já está cuidando desta alteração – garantiu.

Discursos 

Após um ano do anúncio do novo organograma no pacote de economia da Prefeitura, os vereadores Marcos Vinícius e Adair Otaviano (MDB) sinalizaram em seus discursos da última terça-feira, 3, que uma reformulação no governo municipal seria feita. Marcos Vinícius iniciou o seu pronunciamento falando sobre a “inércia” da atual administração.

— Um governo que catalisou a confiança de milhares de pessoas. Quase 60 mil divinopolitanos votaram no prefeito Galileu, acreditando no seu plano de governo que até agora não saiu do papel – critica.

O vereador criticou ainda o secretariado de Galileu e reclamou que os secretários não resolvem nada. Marcos Vinícius chegou a dizer que o governo está fadado ao fracasso se providências enérgicas não forem tomadas o quanto antes. O parlamentar afirmou também que as “coisas” só funcionaram quando o ex-assessor especial de governo, Fausto Barros, estava na Prefeitura.

— Pelo que me parece, somente o ex-secretário Fausto Barros é que tinha respeitabilidade, é que tinha autonomia, uma voz ouvida em toda a Prefeitura. Depois que o Fausto Barros saiu da Prefeitura, nada mais se resolveu. Eles fazem reunião para marcar reunião e o governo não – reclama.

Com a proximidade do envio do organograma para o Poder Legislativo, o presidente da Casa sugeriu que o prefeito passe um “pente-fino” nos cargos comissionados para colocar a Prefeitura nos trilhos. Adair reforçou ainda que não há outro caminho para Galileu se não o de exonerar boa parte dos cargos em comissão do Poder Executivo.

— Logo após a reforma, que o prefeito demita todos os cargos comissionados e renomeie todos novamente, para que assim, talvez, ele coloque a Prefeitura nos trilhos – avalia.

 

Comentários
×