Galileu deu cargo e disse para não trabalhar, acusa ex-aliado do prefeito; ÁUDIO

Pollyanna Martins 

Marcelo Máximo de Morais Fernandes, conhecido como Marcelo Marreco e ex-aliado do prefeito Galileu Machado (MDB), fez uma grave denúncia contra o chefe do Executivo ontem, durante reunião ordinária da Câmara. Afirmou que o prefeito lhe ofereceu cargo comissionado na Prefeitura, sem que ele precisasse trabalhar.

Marcelo entregou o que afirmou ser uma cópia de gravação telefônica aos vereadores Edson Sousa, Adair Otaviano e Delano Santiago (todos também do MDB). O Agora teve acesso à gravação.

No áudio supostamente atribuído ao prefeito, Galileu supostamente conversa por telefone com o ex-aliado. Alguns vereadores enfatizaram que ainda é preciso confirmar a autenticidade da gravação.

Na ligação, aparentemente o prefeito diz a Marcelo que “semana que vem deve ir” e que “o negócio é difícil demais”, sem especificar o quê.

— Não tem tempo de arrumar não, sabe Marcelo? Cê tá lá trabalhando e é só gente, gente, gente, mas eu já combinei com o Kaboja [vereador Rodrigo Kaboja (PSD)] e semana que vem vai. Você vai trabalhar lá dentro — afirma.

Ouça a gravação

O ex-aliado supostamente pergunta então a Galileu se ele iria “para lá mesmo”, também sem indicar a que local se referia. Ao que parece, o prefeito diz a Marcelo que irá fazer algo no novo organograma da Prefeitura para ver onde poderia colocá-lo.

A voz que seria de Galileu pergunta ainda ao ex-aliado em que ele trabalha e a resposta é a de que atua no ramo da construção civil.

— Mas você vai ficar na coordenadoria, um trem assim, não vai trabalhar não.

Na gravação, a voz atribuída ao prefeito diz ainda a Marcelo que ele poderia ficar despreocupado, que na hora em que aprovasse o “negócio”, o lugar dele já estaria reservado.

Afirma ainda ao ex-aliado que o ex-assessor especial de governo, Fausto Barros, afastado pela Justiça, queria falar com ele. Marcelo pergunta ao prefeito se Fausto está com ele e Galileu responde que não, que o ex-assessor especial de governo estaria em casa.

Decreto

Além de apresentar a gravação em um CD, Marcelo mostrou ainda cópia do decreto de sua nomeação, com data de 23 de abril de 2018. No documento assinado por Galileu e pelo secretário municipal de governo, Roberto Antônio Ribeiro Chaves, o ex-aliado do prefeito é nomeado para o cargo de coordenador de Abastecimento e Segurança Alimentar na Secretaria de Agronegócios.

O decreto entraria em vigor a partir de terça-feira, 23, quando seria publicado no “Diário Oficial dos Municípios Mineiros”. Porém, a norma não chegou a ser veiculada.

Ao Agora, Marcelo disse que recusou o cargo e resolveu trazer a situação à tona após a divulgação da matéria “Galileu sanciona lei que favorece nepotismo”, no dia 12 de abril. O ex-aliado do prefeito garantiu ainda que irá denunciar o caso ao Ministério Público.

Outro lado 

O Agora questionou a Prefeitura sobre como são feitas as escolhas para as nomeações dos cargos comissionados. Porém, o Executivo informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não iria comentar o assunto, pois ainda não tinha conhecimento da denúncia.

 

Comentários
×