Futuro sombrio para o futebol

José Carlos de Oliveira

A pandemia da covid-19 já faz surtir os primeiros efeitos sobre o futebol, e o futuro é incerto e por demais sombrio para o esporte mais popular e querido do mundo. Nem mesmo os milionários da bola estarão imunes ao que se avizinha para os próximos anos, e muita gente ainda chorará ao fim desta novela. 

E o primeiro campeonato a sentir os efeitos da crise que é desenhada no horizonte foi justamente aquele que há bem pouco tempo era o “novo eldorado” para os jogadores de futebol: o campeonato chinês, que vê clubes milionários enfrentando dificuldades para arcar com seus compromissos, tendo que fechar as portas e encerrar suas atividades.

Nem o campeão

E nesta gangorra maluca que é desenhada para o futuro, sobrou até mesmo para o atual campeão da Superliga Chinesa, o Jiangsu, da cidade de Nanquim, que não poderá defender seu título este ano por ter sido banido das disputas por não conseguir arcar com os compromissos assumidos. A confirmação veio ontem, quando a Associação de Futebol da China (CFA) divulgou a lista com os times que participarão da próxima edição do campeonato, sem o Jiangsu e mais seis tradicionais clubes.

Efeito cascata

Mas não é somente na China que a crise já se instalou no futebol, também outros grandes campeonatos (e clubes) pelo mundo afora sofrem as consequências da crise – de saúde e econômica – e já não conseguem esconder esta verdade de ninguém. Nem clubes poderosos, com saúde financeira das melhores ao longo dos últimos anos (como é o caso do Barcelona) conseguem driblar a crise e evitar o caos, que é cada vez mais palpável no futebol de todo o planeta. 

Varrendo para debaixo do tapete

Aqui pelas bandas do Brasil a crise será bem maior do que muitos tentam acreditar. Ao varrer seus problemas para debaixo do tapete, os grandes clubes podem estar é cavando sua própria cova, entrando num caminho sem volta que levará muitos à ruína total. Com cofres vazios, devendo a Deus e o mundo, ainda aparecem por aqui os dirigentes malucos, que gastam tubos de dinheiro em contratações de jogadores, mesmo sabendo que não terão como pagar a conta. Gastam muito pensando no hoje, mas se esquecem que o amanhã é logo ali e terão que assumir seus compromissos, doa a quem doer.

Jogo perigoso

Empurrados pela rivalidade entre os clubes, tem muito dirigente pelo Brasil afora que ainda não entendeu que a conta um dia chegará e terão que responder por seus atos. Nem mesmo a crise que se instalou sobre o Cruzeiro desde 2019, que entrou num buraco sem fundo pela irresponsabilidade de antigos dirigentes, serve de exemplo para este pessoal e eles insistem em gastar aquilo que não têm, achando que o dinheiro para saldar a conta vai cair do céu.

Tentando copiar o Palmeiras e mais recentemente o Flamengo, que fizeram investimentos milionários para montar grandes elencos, alguns clubes seguem pelo mesmo caminho, investem pesado para desbancar os rivais, achando que no futuro as coisas se ajeitariam facilmente. Podem até enganar a si mesmos e a uma meia dúzia de torcedores fanáticos, que só enxergam o próprio umbigo e querem é grandes times e títulos – mesmo sem ter com que pagar –, mas não aos mais sensatos, que sabem bem onde aperta o calo e que na verdade este pessoal está é desde já cavando a própria cova, deles (dirigentes) e dos clubes que dizem amar.

Duvidam?

Então paguem para ver e confiram os futuros capítulos dessa triste novela, ou será um filme de terror? O cruzeirense já sabe bem o que é isso...

Comentários
×