Futuro de Jaime II

Reviravolta na composição do cenário para as eleições deste ano em Minas Gerais pode deixar o deputado federal Jaime Martins (Pros) fora da disputa como vice na chapa de Márcio Lacerda (PSB), como já vinha sendo cogitado há algum tempo.

Os MDBistas, que poderiam fechar apoio ou até mesmo indicar o vice de Pimentel, mudaram de ideia após pesquisas e avaliações realizadas nos últimos dias que apontam para um crescimento da rejeição do governo petista, em rota de colisão, por causa da crise financeira, com prefeituras, servidores e setores da segurança pública. O MDB deve indicar o nome de Adalclever Lopes, Fábio Ramalho, Leonardo Quintão ou do presidente da comissão provisória do MDB em Minas, Saraiva Felipe.

Segundo a assessoria do deputado Jaime Martins, não existe nada de oficial e ele é que teria articulado o encontro entre PSB e MDB que apontou para esta possível composição. A alegação é de que são apenas conversas de bastidores e que nada está definido. Mesmo que fique fora da chapa, Jaime vem demonstrando muita proximidade com Lacerda, o que indica que terá boa penetração no governo, podendo assumir até mesmo uma secretaria estadual. Em recente entrevista, conforme já noticiado por esta coluna, ele deixou claro que não é candidato a deputado em nenhuma esfera e que segue apoiando o nome de seu filho Bruce Martins (Podemos).

A chapa de Lacerda aos poucos vai se consolidando como a terceira via de maior aceitação, já que a situação do atual governo não é boa e deve contar até mesmo com manifestação de prefeitos nos próximos dias. Anastasia (PSDB) também pode enfrentar dificuldades, porque se fala nos bastidores que se hoje o Estado está em situação ruim é porque ele e Aécio criaram o rombo que Pimentel (PT) simplesmente não conseguiu reparar.

Para o Centro-Oeste de Minas, a notícia de que Jaime seria o vice da chapa foi muito boa e encheu de esperança as cidades que foram massacradas nos últimos governos. Com o PSDB no comando de Minas, além de perder investimentos, Divinópolis foi agraciada com dois contratos de concessão que foram lesivos para o cidadão: o da Copasa e o da MG-050. Uma cobra esgoto sem tratar e a outra cobra pedágio sem duplicar rodovias. Ambos os contratos foram assinados no Governo de Anastasia, que também não conseguiu concluir o Hospital Público Regional, hoje o segundo maior elefante branco da cidade; só não perde para o viaduto que liga nada a lugar nenhum na região do Distrito Industrial.

A imprensa estadual, em publicações de jornalistas políticos, chegou a afirmar que majoritariamente os diretórios estaduais e 90% das bancadas federais e estaduais, já consultados, concordaram com a coligação. Por parte do PSB, apenas o deputado Julio Delgado estaria resistindo ao acordo. Com a decisão “consumada” por ampla maioria, os emedebistas agora procuram aparar as arestas para chegar com unanimidade à convenção marcada para o dia 4 de agosto.

Também segundo a imprensa estadual, haverá um encontro com o governador Fernando Pimentel para tentar uma composição com o PT, que não estaria na chapa, mas poderia apoiá-la ou para ao menos deixar um pacto de não agressão que possa levar a uma união no segundo turno.

Caso realmente fique de fora, Jaime Martins não deverá disputar eleições neste ano, o que já deixa a política local agitada porque seria um forte nome para a Prefeitura de Divinópolis nas eleições de 2020.

Comentários
×