Futilidades

Muito se tem falado do midiatismo político e de marketing eleitoral. Apesar destas palavras serem bonitas, e muitos se perguntarem do que se trata, elas estão cada vez mais presentes no cotidiano do brasileiro. Desde o boom da internet e das redes sociais em 2012, este tipo de prática tem sido adotada pelos políticos. Com a popularização dos smartphones e planos de internet móvel no Brasil, o que os políticos mais fazem desde então é dar show nas redes. A coisa passou de prestação de informação sobre o mandato, para espetáculo em vídeo. Nas gravações, os parlamentares chegam a pedir para o público compartilhar os vídeos, curtir, e tudo meramente em busca de acesso. Serviço mesmo que é bom, nada.

Mas, pior que os políticos que fazem isso é o povo que aplaude. Sem noção do que cobrar, do que acontece de verdade nos bastidores da política do país, do Estado, ou de sua cidade, o eleitor aplaude e pede mais. Nesta semana, dois fatos bem midiáticos chamaram muito a atenção. A deputada federal eleita por São Paulo, Joice Hasselmann (PSL) “exorcizou” o seu gabinete na Câmara dos Deputados, pois o mesmo já foi utilizado pelo ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, de fevereiro de 1987 a janeiro de 1991 (oi?), quando ele era deputado constituinte. O culto ecumênico foi transmitido ao vivo pelo canal da parlamentar no Youtube.

Apesar de a postura da deputada assustar muito gente, centenas aplaudiram e pediram mais. Tais fatos nos fazem perguntar para onde o Brasil está caminhando. O que é pior? Quem faz, ou quem aplaude? Enquanto Joice, que comprovadamente plagiou 65 reportagens, escritas por 42 pessoas diferentes, somente entre os dias 24 de junho e 17 de julho de 2014, exorcizava seu gabinete já ocupado por Lula, coisas importantes aconteciam no país, e a população continuava em busca de representatividade. Mas, dizem por aí que o povo tem o político que merece. E, aos passos que o Brasil anda, elegendo cada vez mais políticos midiáticos, aplaudindo cada vez mais os shows, é impossível não ver que esta máxima se aplica na nossa realidade. Infelizmente, a Nação caminha para a sua ruína, e o povo aplaude, iludido pelo espetáculo das redes sociais.

Enquanto Joice fazia o seu show ao vivo pelo youtube, outra polêmica tomava conta do país: a roupa da deputada estadual de Santa Catarina, Ana Paula da Silva (PDT), mais conhecida como Paulinha. A parlamentar foi em sua posse com um macacão vermelho, com um decote nos seios. Pronto, esta foi a gota d’água para os mesmos que aplaudiram o show de Joice, ofenderem a deputada nas redes sociais (ah, as redes sociais). O que mais chama a atenção é que esses mesmos que criticaram a roupa da parlamentar se esqueceram de olhar que ela é prefeita reeleita de Bombinhas,  (Santa Catarina) com 72,94% dos votos, em 2017, e que decidiu abdicar de seu mandato à frente da prefeitura, que lhe rendeu prêmios e importantes conquistas, para se dedicar a todo o Estado. Se esqueceram ainda, que o que desabona um político não é a roupa que usa, e sim, sua conduta.

Mas, em um momento em que os valores estão invertidos e o que importa mesmo é o show, o espetáculo, tudo é válido. Quanto mais, melhor. Mais falação e menos trabalho, é assim que o povo gosta. E é assim que o povo exige mudança.

Comentários
×