Fundição aposta em crescimento

 

Pablo Santos

O presidente do Sindicato da Indústria da Fundição no Estado de Minas Gerais (Sifumg), Afonso Gonzaga, que também é presidente da Associação Brasileira de Fundição (Abifa), está otimista para 2019, após bons resultados no ano passado. A projeção é crescer 2% a mais neste ano na comparação com o exercício anterior.

O presidente da Abifa espera a continuidade da recuperação econômica e do incremento esperado nos principais setores demandantes de fundidos.

— Os dois setores que mais compram vão crescer mais que 8% — afirmou Afonso Gonzaga, se referindo à infraestrutura, principalmente, no setor de saneamento.

Gonzaga aposta nas ações do novo governo para alavancar a produção neste ano. 

— Se cumprir o que prometeu, desonerando a indústria e criando infraestrutura, vamos crescer, por isso estamos com uma estimativa inicial de alta no desempenho para este exercício na casa dos 8% na produção da fundição — disse.

2018

A produção de fundidos avançou 4,2% no Centro-Oeste no ano passado. Já no Brasil o crescimento foi maior: 6,3%. As fundições nacionais produziram 2,28 milhões de toneladas em 2018, o que equivale a uma alta de 6,3% em relação aos 2,14 milhões de toneladas fundidas no ano anterior, e de 8,6% sobre 2016.

Já no Centro-Oeste o crescimento foi menor. De acordo com a Abifa, o aumento na produção de fundidos ficou em 4,2%, inferior aos resultados nacionais.

De acordo com a Abifa, o crescimento da região foi um pouco menor. No geral, o aumento foi puxado pelo setor automotivo e no Centro-Oeste de Minas Gerais há poucos fornecedores neste setor.

 Produtos

O ferro fundido liderou a tonelagem de metal fundido em 2018, com 1,84 milhão de toneladas (+3,5% em relação a 2017). Já o destaque de crescimento ficou por conta do aço (+30,8%), com 244 mil toneladas fundidas.

No segmento de não ferrosos, a alta foi de 8,7%, com a produção de 199,2 mil toneladas, entre alumínio (172,1 mil t / +10,4%), cobre (20,9 mil t / +0,6%), zinco (1,2 mil t / +0,2%) e magnésio (5,0 mil t / -7,7).

Comentários
×