Funcionários estão expostos ao perigo, afirma vereador

 

Maria Tereza Oliveira

A febre maculosa voltou com tudo. Isso porque a Secretaria Estadual de Saúde (SES) por meio da Superintendência Estadual de Saúde divulgou novos dados, onde detalha o número de casos da doença em Minas. A microrregião de Divinópolis é a com a maior quantidade de ocorrência com 12 casos. Só na cidade são cinco, ficando atrás apenas da Capital Mineira com seis.

Para piorar, nos últimos dias, surgiram mais alguns casos suspeitos da doença. A Prefeitura revelou que, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) recebeu na segunda-feira a notificação e a Vigilância em Saúde já investiga.

O paciente, de 42 anos, apresenta sintomas como icterícia, alteração hepática, dor abdominal, náusea, febre. De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde da Semusa, Janice Soares, a notificação alega que o paciente teve contato com carrapatos e ratos e esteve em ambientes com matas e florestas. Ele está internado em um hospital particular da cidade

Há duas semanas surgiu mais um suposto caso de febre maculosa na cidade. Um homem de 32 anos deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com sintomas da doença e foi transferido para a Capital Mineira. O Município revelou que a Semusa está acompanhando o estado da possível vítima.

De acordo com informações, o paciente mora em São Sebastião do Oeste, entretanto, trabalha na zona rural de Divinópolis.

As possíveis vítimas da doença tiveram amostras de sangue recolhidas para serem analisadas pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Os resultados dos exames ainda são aguardados.

Problemas com carrapatos

A Vigilância em Saúde mantém a orientação em estabelecimentos e locais considerados de risco e realiza dedetizações contra o carrapato transmissor da febre maculosa.

Desde julho, a cidade lida com a doença e três mortes foram confirmadas. A primeira foi a de uma jovem de 24 anos e aconteceu no dia 1º de julho. No dia 23 do mesmo mês, um idoso de 81 anos morreu três dias após dar entrada no Hospital Santa Mônica. A 3ª morte confirmada foi a de um idoso de 63 anos, ocorrida no dia 4 de agosto.

Embora casos da doença possam ocorrer durante todo o ano, é no período seco, especialmente entre os meses de junho e novembro, que eles ocorrem com maior frequência.

Transferência de funcionários

Apesar de a reunião da Câmara de terça-feira, ter sido cancelada, o presidente da Casa, Adair Otaviano (MDB) não deixou de falar sobre a situação dos varredores de rua que teriam seu local de bater ponto transferido para o Parque da Ilha, mesmo com a interdição do mesmo por infestação de carrapato estrela, o que poderia expor os mesmos à febre maculosa.

Em entrevista ao Agora, o presidente disse que alguns servidores da Empresa Municipal de Obras Públicas e Serviços (Emop), o procuraram para denunciar que estão sendo jogados de um lado para o outro.

— Não estão tendo um pingo de respeito com eles. Por decisão de chefias imediatas, serão transferidos para uma casa que se encontra na entrada do Parque da Ilha — revelou.

De acordo com Adair, os funcionários estão sendo expostos ao perigo de se contaminarem com a febre maculosa.

— Mesmo se alegarem que a casa está fora do Parque da Ilha, deve-se considerar que os carrapatos andam, o que traz riscos a lugares próximos do parque — destacou.

Prefeitura

O Agora ouviu a Prefeitura que desmentiu o assunto. De acordo com a assessoria os servidores da Emop guardam suas ferramentas de trabalho no antigo restaurante popular, no Centro da cidade

Ainda de acordo com a Prefeitura, os funcionários permanecerão no mesmo local e não há informações sobre uma possível transferência.

Febre maculosa

A febre maculosa é transmitida através da picada de carrapatos infectados, principalmente os popularmente conhecidos como carrapato-estrela.

A Semusa recomendou no mês passado que as pessoas que frequentarem locais com incidência de carrapatos, como zona rural, locais interditados, ou tenham contato com animais silvestres e domésticos, verifiquem se há carrapato. Caso encontre algum, retirá-lo com pinça e, se sentir algum sintoma, procurar imediatamente uma unidade de saúde.

O parasita transmissor está presente em inúmeros animais como: cavalos, cachorros, gatos e gado. Entretanto, a principal hospedeira dos carrapatos é a capivara.

 

 

Comentários
×