Funcionários da UPA serão transferidos para Unidades Básicas de Saúde

 

Da Redação

A Prefeitura de Divinópolis determinou a transferência dos profissionais da Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto (UPA 24H) para as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Foi publicado esta semana no Diário Oficial dos Municípios Mineiros o Ato Administrativo 015/2019, que determina o recrutamento de servidores lotados na UPA. Conforme determina o Ato, o processo licitatório por meio do qual será escolhida a nova gestora da Unidade não contemplará a cessão de servidores efetivos para a entidade e, com isso, os servidores hoje lotados na UPA serão remanejados para outras unidades da saúde primária.

A Prefeitura alegou ainda que a Atenção Primária carece de investimentos que a capacitem para ofertar os resultados esperados. De acordo com o Poder Executivo, com a transferência dos profissionais para Unidades Básicas de Saúde, o Município terá uma economia de aproximadamente R$ 8 milhões, uma vez que os servidores perderão suas gratificações de 50% e 70%.

— É responsabilidade do gestor público eleger prioridades e bem aplicar os finitos recursos financeiros com vistas a atingir os melhores resultados para um maior número de pessoas — argumentou.

O Ato Administrativo determina que a transferência dos servidores seja feita a partir de hoje, de acordo com a necessidade. Ainda segundo a Prefeitura, não havendo manifestação do servidor em ser remanejado, a transferência será feita da seguinte forma: primeiro, os servidores com menos tempo de lotação; em seguida, os servidores com menos tempo de vinculação com o Município, e, por último, os servidores mais jovens.

Servidores

O Agora conversou com exclusividade com servidores da UPA. Segundo os funcionários, o clima é de tensão, pois muitos temem pela qualidade no atendimento médico da Unidade. Ainda de acordo com os servidores, existem profissionais com mais de 23 anos de “casa”, com experiência em urgência e emergência, que correm o risco de serem transferidos.

— Será que esses novos funcionários têm as experiências que nós temos? Tem gente que veio do pronto-socorro quando ele ainda era no [Complexo de Saúde] do São João de Deus, e tem uma experiência vasta em urgência e emergência. Como tirá-lo de uma hora para outra e colocar em posto de saúde? — questiona.

Ainda de acordo com os servidores, a Prefeitura está descumprindo o acordo firmado na Conferência Municipal de Saúde, realizada no dia 14 de abril. Segundo os funcionários, durante o evento ficou estabelecido que todos os serviços de saúde da cidade deveriam ter no mínimo 70% de servidores efetivos.

Os servidores denunciaram ainda que, com a contratação da nova gestora, a neurologia será extinta da Unidade.

Sindicato

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste de Minas Gerais (Sintram), uma reunião foi agendada nesta segunda-feira, 3, com o prefeito, Galileu Machado (MDB), e o procurador do Município, Wendel Santos, para discutir o assunto. No dia 5 de junho, o Sindicato irá se reunir com o promotor de justiça Ubiratran Domingues, no Ministério Público, também para debater as transferências.

Prefeitura

A Prefeitura de Divinópolis informou por meio de sua assessoria de imprensa que é exigido no edital do processo licitatório que os novos profissionais recrutados pela nova gestora, para a UPA, tenham experiência em plantões, e em urgência e emergência.

 

Comentários
×