Frio favorece aumento de doenças respiratórias

 

Gisele Souto  

Todo ano é de praxe. Junho e julho são os meses em que se registra o maior número de doenças respiratórias, que vão desde um resfriado comum a Síndromes Respiratórias Agudas e Graves (Srag), nas quais está incluída a pneumonia (esta não é registrada isoladamente). Porém, nos últimos dias, a doença tem apresentado números altos na cidade. Foi o que afirmou uma pediatra a uma mãe que levou a filha de 4 anos com os sintomas a um hospital particular da cidade. 

A médica revelou a ela que somente na quinta-feira, 7, atendeu quatro casos somente em seu plantão.  No Hospital São João de Deus, a assessoria de comunicação informou que, no momento, existe apenas uma criança com pneumonia. Porém, revelou que, de abril até esta sexta-feira, 8, foram diagnosticados 30 casos de bronquiolite. As crianças ficaram internadas na pediatria e, em alguns casos, foi necessária a transferência para UTI. Trata-se de uma infecção comum em crianças, principalmente entre 1 e 2 anos, e que gera acúmulo de líquidos nos pulmões. 

 Sem notificação  

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, por meio da Superintendência Regional de Saúde de Divinópolis, esclarece que pneumonia de não é doença de agravo de notificação compulsória. Afirma que a saúde trabalha com notificação das Síndromes Gripal (SG) e Respiratórias Agudas Graves. 

 Síndromes graves   

Foram confirmados, até o momento, em Minas Gerais, 105 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave causados pelo vírus da Influenza (gripe). Deste total, 23 pessoas morreram.  

Dos 105 registros, 49 foram de Influenza A/H3 Sazonal; 35 de Influenza A não subtipado, 16 de Influenza A/(HINI)pdm09; e 5 Influenza B. 

Até o último boletim epidemiológico, publicado nesta quinta-feira, 7, segundo a SES, não há mortes associadas ao vírus influenza em Divinópolis e Região. 

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) não informou números, mas garantiu que houve aumento de 20% neste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, nos casos graves de gripe. 

Vacina  

Com o objetivo de atingir a meta e evitar novos casos de gripe com agravamentos, o Ministério da Saúde ampliou a Campanha de Vacinação. Iniciada em 23 de abril, seguirá até o próximo dia 15. Em anos anteriores, a imunização terminava em maio. A meta é vacinar 90% do público prioritário. 

Conforme dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunização (SIPNI), até o momento, a cobertura vacinal em Minas está em 80,5%, número que ainda não é considerado positivo. 

A campanha de vacinação contra gripe foi prorrogada até 15 de junho pelo Ministério da Saúde, devido à paralisação dos caminhoneiros. Em Divinópolis, até o momento, 80% do grupo prioritário foi imunizado, de acordo com relatório da campanha de vacinação divulgado nesta segunda-feira, 4, pela Secretaria Municipal de Saúde. 

Divinópolis  

Em Divinópolis, onde a campanha foi prorrogada para a mesma data, 52,8 mil pessoas estão no grupo prioritário no município, que também pretende vacinar 90% deste total. Os grupos com menores índices de vacinação na cidade são o de crianças e professores. Os grupos de puérperas e idosos já atingiram a quantidade determinada pelo MS.  

A vacinação, que protege contra a H1N1 e a H3N2, tem como principal objetivo reduzir a mortalidade, as complicações e as internações.  

As salas de vacina nas unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF) funcionam das 8h às 16h30 e, nas unidades de saúde, das 8h às 17h. 

 

 

Comentários
×