Forças de Segurança enaltecem resultado de ações no Pré- Carnaval

Paulo Vitor Souza 

Um assassinato no fim da festa não deixou de marcar o Pré-Carnaval 2020 em Divinópolis. Durante todo o sábado, 15, milhares de foliões passaram pela rua Pitangui, onde acontecia o evento. A rua foi tomada por uma multidão que acompanhou os shows e desfiles dos blocos carnavalescos. Por lá a alegria foi geral e um rigoroso plano de segurança garantiu a tranquilidade e diversão do público.

No entanto, das redondezas – especificamente na avenida JK, esquina com a rua Elisa Pinto do Amaral – não se pode dizer o mesmo. Um grupo de foliões que veio de outras cidades foi vítima de um tiroteio. Segundo testemunhas que estavam no local, um desentendimento foi o motivo dos disparos. Os foliões separaram os envolvidos na briga e foram para perto de uma van, quando um homem se aproximou e efetuou  os disparos.

Thiago Henrique dos Santos, de 20 anos, foi baleado cinco vezes. Os tiros atingiram o rosto, pescoço e tórax. Ele, que veio de Oliveira, chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiro e pelo Serviço Móvel de Urgência (Samu), mas morreu a caminho do hospital.

Outras três pessoas também foram atingidas. Um rapaz de 19 anos, natural de Belo Horizonte, foi baleado no tórax e encaminhado à Sala Vermelha do Complexo de Saúde São João de Deus com hemorragia interna, em estado grave. Outro, de 29 anos, natural de Córrego Fundo, levou um tiro no tornozelo esquerdo, sendo socorrido e encaminhado à UPA. O de 18 anos, também de Córrego Fundo, teve o joelho vazado por uma bala, ele foi socorrido à UPA. O quinto ferido, um jovem de 21, teve lesão no antebraço direito. Ele procurou auxílio por conta própria no Hospital Santa Mônica.

Investigação

O atirador contra os foliões ainda não havia sido identificado até o fechamento desta página, por volta das 18h de ontem. Relatos de testemunhas que estavam no local divergem sobre a fisionomia do suspeito. Para a polícia, o crime foi motivado por uma briga, e o rapaz que foi morto era, de fato, o alvo dos tiros.

A Polícia Civil (PC) procura por imagens de câmeras de segurança nos arredores da JK para auxiliar na identificação do assassino. O delegado de Homicídios, Renato Fonseca, comanda a investigação e em breve dará início ao processo de interrogação de testemunhas.

Com o assassinato de Thiago Henrique, sobe para seis o número de homicídios ocorridos na cidade neste ano. No mesmo período do ano passado, a cidade já havia registrado nove.

A PC e a Polícia Militar (PM) reforçam a importância do apoio da população na identificação de suspeitos. Em caso de denúncias, elas podem ser feitas por meio do 181.

Segurança

A Prefeitura já havia informado na semana passada o esquema de segurança que foi montado para garantir a ordem do local. Quem passou pela Pitangui notou a presença de equipes de segurança particulares, PM e do Corpo de Bombeiros. Em nota na manhã de domingo, o Executivo defendeu que o assassinato ocorreu fora da área de segurança do local e que teria sido provocado por causa de desentendimento pessoal, o que foge do controle de segurança tanto em dias de evento quanto em dias normais.

— (...) fique claro também o sucesso do evento, pelo qual passaram milhares pessoas ao longo do dia, sem o registro de incidentes ou ocorrências de destaque, ratificando a decisão acertada na transferência da festa para o local deste ano. Ressalta-se também que, até onde se tem a apuração dos fatos, os incidentes estão relacionados ao comportamento, não tendo sido registradas falhas de segurança na organização. E, por se tratar consequentemente de relacionamentos interpessoais, torna-se impossível a onipresença dos agentes de segurança, fato este, infelizmente, aplicado não só à folia, mas ao nosso dia a dia — disse a Prefeitura que, na mesma nota, lamentou a morte de Thiago Henrique.

Apesar da ocorrência de assassinato, a PM informou que, neste ano, a festa registrou poucos episódios de violência, mesmo com maior número de pessoas.

O comandante do 23º Batalhão da PM, Rodrigo Coimbra, explicou que os trabalhos desenvolvidos no evento surtiram efeito, já que um das estratégias era a presença constante de militares no local.

— A Polícia Militar atuou no Pré-Carnaval de Divinópolis com todo o seu efetivo operacional e administrativo de Divinópolis, recebendo reforço do Batalhão de Choque, sediado em Belo Horizonte. A atuação foi pautada pelo aumento da visibilidade do policiamento, com efetivo distribuído por toda a extensão da rua Pitangui e adjacências, com utilização de drone, de duas bases de Segurança Comunitária e da Móvel de Coordenação e Controle — explicou o comandante.

De acordo com ele, a atuação preventiva da PM trouxe resultados significativos, com uma redução da ordem de 61% nos registros de ocorrências, comparando-se ao evento do ano anterior, mesmo com um público maior.

O Corpo de Bombeiros realizou os atendimentos de urgência durante toda a festa. O 10º Batalhão empregou 51 bombeiros, cinco viaturas, e contou também com o auxílio de imagens produzidas por um drone que sobrevoava toda a via.

Consumo de álcool

O comandante da 7ª Região da PM, coronel Webster Wadim Passos, em coletiva dos órgãos de segurança, já havia informado que, no ano passado, um das questões mais recorrentes no Pré-Carnaval foi o excesso no consumo de bebidas alcoólicas.

Neste ano, o Corpo de Bombeiros realizou atendimento de pessoas que apresentavam embriaguez extrema. De acordo com informações de atendimentos, muitas precisaram ser levadas para a UPA por terem bebido demais.

Folia

A Prefeitura defendeu o sucesso do Pré-Carnaval 2020 e afirma que a troca de local foi a mudança mais significativa neste ano. A reportagem conversou com alguns foliões, que aprovaram o novo espaço. O Corpo de Bombeiros estimou o público presente em aproximadamente 45 mil pessoas.

Estado de Saúde

O Agora entrou em contato com o Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) e foi informado que o jovem que deu entrada em estado grave na unidade de saúde foi submetido a um procedimento cirúrgico, passou pela UTI e já tinha ido para o quarto na manhã de ontem. Ainda de acordo com o hospital, o estado de saúde dele é estável.

Comentários
×