Força-tarefa realiza limpeza da Lagoa do Sidil

Da Redação

Apesar de todos os alertas, agentes de saúde continuam retirando toneladas de lixo diariamente da região da Lagoa da Sidil. Somente em uma vistoria na manhã desta sexta-feira, 27, foram encontrados pneus, televisores velhos, latas e muita embalagem que servem de depósito para água e ameaçam as ações de prevenção à dengue. A situação é tão grave que foi necessário envolver homens e máquinas da Secretaria Municipal de Operações e Serviços Urbanos (Semsur).

— Havia muitas sacolas de lixo jogadas em meio aos aguapés, sobre a lagoa. Com isso, acionamos a Semsur para nos ajudar na retirada desse material — destaca o coordenador de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), Erson Ribeiro.

Segundo ele, outra providência que vai ser adotada é a notificação da Copasa para que ela faça um levantamento de quantos pontos de lançamento de esgoto existem no local.

— Essa é uma informação importante para que possamos planejar melhor as ações para essa região — ressalta.

 A equipe responsável pela retirada dos aguapés é a mesma que, desde de 2017, trabalha no controle da praga ao longo do Rio Itapecerica, e que conseguiu evitar a trágica imagem que já foi vista em Divinópolis, do rio coberto por um tapete verde.

— Além do Itapecerica, trabalhamos também na limpeza dos córregos que cortam a cidade. Agora, transferimos nossas atividades aqui para a Lagoa da Sidi,l em apoio ao trabalho da Semusa e o resultado já pode ser visto: boa parte do espelho d’água já está visível — acrescenta o diretor de Operações e Serviços Urbanos, Rodrigo Assis.

Comentários
×