Força do comércio e serviços impulsionam o desenvolvimento

Passados anos em franco desenvolvimento, a economia de Divinópolis é bem diversificada

 

Jorge Guimarães 

No início da década de 1900, o então Arraial do Divino Espírito Santo recebeu os primeiros vagões da Estrada de Ferro Oeste de Minas. Dava-se início, assim, ao que seria a mola propulsora do progresso da futura “Cidade do Divino”.

E passados anos em franco desenvolvimento, a economia de Divinópolis é bem diversificada ‒ a indústria de confecção, a produção do ferro gusa e a do aço já foram os pontos fortes na cidade, processos que continuam presentes e são de suma importância para a economia local. No entanto, hoje, a cidade é polo comercial e de serviços, correspondendo a 58,81% do Produto Interno Bruto (PIB) da cidade, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2018.

 

Força dos setores 

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis é a principal entidade que reúne a força dos dois segmentos e contribui para o impulsionamento da economia local. Em 2021, a entidade completa 54 anos de sua fundação. Sua história acompanhou o desenvolvimento do comércio da cidade, tendo em seu quadro de associados e diretores importantes lojistas, que são referência no comércio da cidade.

O seu presidente, Heider Vitor de Freitas, é do setor de serviços, sócio proprietário da Mais Soluções, e acredita na força do comércio e serviços em Divinópolis como impulsionadores da economia local.

— Estou há mais de 20 anos atuando na área da tecnologia em Divinópolis, apresentando soluções digitais para diferentes empresas. Vivenciei muitas mudanças, principalmente na digitalização do comércio. Divinópolis é um grande celeiro de empresários visionários. Temos grandes empresas pilares da economia local, mas comércio e serviços que são responsáveis por mais da metade do PIB municipal — avalia Heider.

 

Comércio

O comércio conecta pessoas, processos e é responsável pelo escoamento da produção, ou seja, o que é produzido pela indústria chega ao consumidor final por ele. Quando esse setor fecha, compromete todo o processo econômico, como aconteceu durante a pandemia. As micro e pequenas empresas são as principais geradoras de riqueza no comércio no Brasil, e em Divinópolis não é diferente. 

— Na CDL Divinópolis, temos mais de 900 associados, sendo que cerca de 90% são micro e pequenas empresas, representantes do comércio e serviços. Essas foram as mais impactadas pela pandemia, o que resultou no encerramento de muitas empresas e demissão de funcionários. Agora, o momento é de retomar o crescimento e a CDL estará sempre ao lado do empresário, dando apoio e direcionando, contribuindo com o fomento da economia local — completa o presidente da CDL.

 

Desenvolvimento

O empresário Raul Henriques Guimarães, das Lojas Fátima, empresa com 65 anos de fundação, acompanhou de perto o desenvolvimento do comércio de Divinópolis. E foi com espírito de união, visando ao fortalecimento do comércio na cidade, que se juntou a outros empresários para fundar a CDL Divinópolis. Hoje, o empresário é membro do conselho fiscal da entidade.

Raul conta que, quando abriu sua loja, na rua Goiás, havia poucos comércios onde hoje é a principal via comercial da cidade.

— No alto da Goiás era um matagal. Depois foi evoluindo e hoje vemos comércio diversificado no Centro e nos bairros. Muitas lojas bonitas e bem estruturadas. Muita coisa mudou nos últimos 50 anos ou mais, antes não tínhamos tanta concorrência. Vendíamos só à vista ‒ depois, com a fundação da CDL e o SPC, passamos a vender no crediário e depois vieram outras formas de pagamento, aperfeiçoando cada vez mais — conta Raul.

Divinópolis sempre esteve na rota dos moradores das cidades vizinhas que vinham para cá para comprar. 

— Recebíamos compradores de muitas cidades. Divinópolis sempre foi referência para a região. Agora, com o melhoramento das estradas, facilitou ainda mais a vinda de compradores de outras cidades — comemora Raul Guimarães. 

 

União

Para o empresário Raul é com união que a cidade vai se desenvolver ainda mais. 

— As coisas mudaram, mas Divinópolis continua sendo uma cidade referência no interior de Minas e, quando começamos com a CDL, muitas cidades queriam saber como era o funcionamento da entidade, ajudamos muitos comerciantes de cidades vizinhas no processo de fundação da CDL. Divinópolis é uma minicapital do Centro-Oeste de Minas. A cidade ainda tem um potencial muito grande de crescimento. Para o desenvolvimento da cidade, precisamos de união, e a CDL tem feito um bom trabalho. Temos que lutar pelo setor e pelo desenvolvimento da cidade — afirma Raul.

 

Acid em conexão

Quem também está ao lado de Divinópolis nestes últimos 50 anos e é um dos pilares de sustentação do desenvolvimento da cidade é a Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e Serviços de Divinópolis (Acid). Fundada há 69 anos, a entidade é muito participativa em discussões que promovem o desenvolvimento econômico e social de Divinópolis. Suas conquistas são em nome não somente de seus associados, mas de todo o município.

Várias são suas bandeiras, como a duplicação da MG-050, o funcionamento do Aeroporto Brigadeiro Cabral, a desburocratização dos alvarás e licenças, a revisão da Lei de Uso e Ocupação do Solo, a estruturação de uma governança ativa com foco no desenvolvimento do turismo no município, entre outras. 

A Acid está representada ativamente no Grupo Gestor, formado por 18 entidades de classe, e no Grupo Líder Novo Oeste – Liderança para o Desenvolvimento Regional, movimentos que discutem e protagonizam o desenvolvimento do município e das cidades da região.

 

Centro Industrial

A atual gestão da Acid, que tem à frente Alexandra Galvão como presidente, elencou como uma de suas prioridades o Centro Industrial Coronel Jovelino Rabelo, onde estão localizadas as principais empresas da cidade. Desde 2020, quando esta diretoria tomou posse, a entidade tem promovido reuniões com os empresários e agindo sob as demandas apresentadas. Uma delas é a formação da Rede de Indústrias Protegidas, iniciativa dos empresários que, junto à Polícia Militar (PM), fazem o monitoramento da área das empresas abrangidas por meio de comunicação específica. Num processo de médio e longo prazo, a Acid apresentou uma proposta de um programa de qualificação das indústrias de utensílios domésticos que visa aumentar a competitividade e a lucratividade das empresas do setor que sejam associadas à entidade. Aos poucos, apresenta em suas redes sociais, por meio de vídeos, o potencial industrial. Recentemente, a comitiva do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi) pôde conhecer várias empresas associadas do Centro Industrial, por meio de visita in loco e também na exposição de produtos de Divinópolis organizada pela Acid. Como ponto de partida para o início da revitalização do Centro Industrial, por meio da assinatura do Termo de Adoção de Bem Público junto à Prefeitura de Divinópolis, adotou a rotatória do cruzamento das ruas Brasil, Rosana Noronha Guarany, Yara e Prefeito Antônio Martins Guimarães. 

O Centro Industrial Coronel Jovelino Rabelo é onde estão instaladas mais 100 indústrias importantes, que geram emprego, promovem a economia e, entre essas, que extrapolam as fronteiras do estado e do país com sua produção.

 

Carro-chefe 

Outro pilar muito importante no desenvolvimento do comércio em Divinópolis, a indústria da confecção levou o nome de Divinópolis para o país inteiro. E, para representar a indústria de confecção do município, foi criado em 20 de março de 1989, o Sindicato da Indústria do Vestuário de Divinópolis (Sinvesd). O Sinvesd veio com o compromisso de promover o fortalecimento da classe, estimular a competitividade, fomentar o desenvolvimento da cadeia produtiva por meio de ações estratégicas e, principalmente, ampliar a visibilidade das empresas de Divinópolis no cenário da moda de Minas Gerais e do Brasil.

E foi na gestão de Carlos Alves Araújo que a entidade realizou sua primeira feira no parque de exposições, a qual passou a ser mensal, e que viria ser o divisor de águas para as indústrias de confecção.

— Para que tivesse sucesso, fomos buscar compradores de todas cidades circunvizinhas e de outros estados também. Nós procurávamos guias que viessem para Divinópolis com seus ônibus para que a gente pudesse vender, teve um dia que nós tivemos 48 ônibus de fora. Assim, nós começamos com pouco mais de 360 indústrias e, quando terminou meu mandato, tínhamos cerca de 1.100 fábricas na cidade. Foi com a feira que surgiram os shoppings em Divinópolis e, a partir desse fato, a feira teve que acabar, porque, com os shoppings, os compradores tinham uma melhor área de vendas. Hoje, acredito que teríamos de fazer um trabalho muito sedimentado para que a engrenagem funcione e as fábricas tenham sobrevida, porque as coisas mudaram muito — analisou Carlos Alves. 

Atualmente, o sindicato tem como presidente Máximo Vieira dos Santos, já há alguns anos, e Ana Soares como seu braço direito. 

 

Jornal Agora

Junto a toda esta história narrada acima está o Jornal Agora, e boa parte dela registrada ao longo desses 50 anos.

Quando a presidente da Acid, Alexandra Galvão, assumiu a gestão da entidade, várias pessoas a questionaram o porquê de assumir uma associação em um momento tão difícil, há poucos meses de declarada a pandemia. Sua resposta foi simples: 

— Tem que ter propósito. Tem que acreditar. Tem que ser juntos — argumentou. 

É nesse sentido que a diretoria e equipe da Acid cumprimentam toda a família do Jornal Agora que tem o propósito de comunicar e informar seus leitores há 50 anos. A paixão e conexão são chaves que abrem portas para se manter no mercado por tanto tempo. 

— Acredito que o que move as pessoas é a paixão e ela nos conecta a outras e outras pessoas, onde o verdadeiro sentido de estarmos aqui, hoje, é nutrir e promover a força que temos — congratula Alexandra.

 

Secretaria

E em ações futuras que o Agora registrará, o atual secretário de Desenvolvimento Econômico, de Divinópolis, Luiz Angelo Gonçalves, revelou planos para o desenvolvimento da cidade. Ele disse que a Prefeitura e sua secretaria trabalham com o “Plano estratégico Divinópolis 2030”. A proposta é estruturada em três principais eixos, que são: ambientes de negócios, projetos estratégicos e infraestrutura. A iniciativa será desdobrada em outras, a serem executadas ainda em 2021.

— Entre as iniciativas executadas a gente dá destaque a ações de infraestrutura, adequações, melhorias e disponibilidade de espaços industriais, o acompanhamento, gestão e melhoria do aeroporto Brigadeiro Cabral. Tem também a Sala Mineira do Empreendedor, que foi reinaugurada recentemente, temos o Programa Divinópolis Juros Zero, que foi recém-aprovado na Câmara e outros como o desenvolvimento do turismo através da Cruz de Todos os Povos, bem como a reforma do espaço que circunda o Lago das Roseiras — revelou Luiz Angelo.

 

Comentários
×