Fora de moda

Preto no Branco

Fora de moda 

O que não falta em Divinópolis entra dia, sai dia, são assuntos que movimentam o cenário político. No Legislativo, então… O que é compreensível, pois concentra um número maior de políticos. No entanto, o Legislativo tem ficado para trás, pois muita gente fica na cola do prefeito Gleidson Azevedo (PSC). Basta ele respirar de forma diferente para os comentários ganharem as redes sociais. Nesta semana, por exemplo, o vídeo da dança com o vereador Diego Espino (PSL) começou a esfriar. Depois de grande repercussão no fim de semana, veio o com os garis, em comemoração ao dia dos profissionais. Adivinha o resultado. O mesmo de sempre. Ao ser questionado, Gleidson foi enfático em afirmar que não mudará seu jeito de ser por causa da opinião de algumas pessoas. E mais: para ele, a forma quadrada e engessada de se administrar está fora de moda. Há muita gente que concorda e outras que não. Sou a favor da moderação, mas concordo que, de vez em quando, faz parte quebrar o protocolo. 

Nadar na praça 

E, para quem acha exagerada a forma de agir de Gleidson, aguarde o que virá por aí. As reformas feitas na Praça do Santuário incluem a limpeza da fonte luminosa, que há muito tempo estava parada, suja, sem água e servindo de banheiro para moradores de rua. Com a revitalização, a fonte será reabastecida com água e tratada todos os dias. Além disso, será cercada de cuidados para poder ser apreciada pelos visitantes que sentem falta de vê-la limpa e funcionando. Isso não deve demorar a acontecer e terá uma inauguração inusitada nunca vista na cidade. O prefeito confidenciou à coluna que vai celebrar o retorno da fonte nadando com roupa de banho e tudo, como manda o figurino. Pura verdade. Aguarde.

Jogado às traças 

E por falar em patrimônio público, pipocam reclamações sobre o abandono do arquivo público. Conforme denunciantes, os documentos estão amontoados e jogados na antiga estação e ninguém se pronuncia sobre o assunto. O fato é constatado, segundo estas pessoas, desde que houve a mudança da biblioteca e do arquivo. Fato gravíssimo, caso seja desta forma mesmo, visto que é a rica e linda história de Divinópolis que está ali. Alô, Secretaria de Cultura.

Maior período 

No momento em que a vacina é a única forma de se prevenir contra a covid-19 e tanta gente no Brasil anseia por suas doses, uma boa notícia. A Agência Europeia de Medicamentos aprovou nesta segunda-feira, 17, que a vacina da Pfizer pode ser conservada no refrigerador por até um mês, medida que deve impulsionar sua aplicação na União Europeia, por enquanto. O período de armazenamento sob refrigeração dos frascos fechados da vacina são, desta forma, estendidos em relação aos cinco dias iniciais. O laboratório alemão BioNTech, que desenvolveu a vacina com o americano Pfizer, assegura que a mudança se baseia em novos dados de estudos que confirmam a "qualidade" do produto durante "31 dias". Caso dê certo por lá, os brasileiros agradecem. 

Em Minas 

Caso seja comprovado, a alteração chega como um alívio. Atualmente, a vacina da Pfizer só é aplicada no Brasil nas capitais, exatamente pela necessidade de um congelamento maior. No entanto, em Minas Gerais, Belo Horizonte não deve ser a única a realizar a aplicação, isso muito em breve. O laboratório Pfizer já treina profissionais das superintendências regionais de saúde no Estado. Uberlândia no Triângulo Mineiro é a primeira cidade do interior contemplada. Divinópolis e mais três cidades que compõem a Macro Oeste também terão servidores treinados nesta iniciativa que visa acelerar o processo de vacinação. Que boa notícia!

Covardia 

Ainda no assunto covid-19, como se não bastasse o isolamento social causado por ela, que acomete principalmente os idosos, eles próprios estão sendo vítimas de um novo golpe vindo de criminosos sem coração. O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) faz um alerta preocupante. Conforme o instituto, estelionatários ligam para os aposentados para fazer prova de vida on-line, em razão da pandemia. Na ligação, são falados todos os dados pessoais e enviada uma mensagem, por WhatsApp, pedindo para que o aposentado envie uma foto de um documento para finalizar o processo. O problema é que a pessoa que fala é muito segura e não dá chances para quem está do outro lado, principalmente pelo fato de se estar em andamento a ampliação da prova de vida por biometria facial, realizada pelo INSS por meio de aplicativo. Como é praticamente impossível identificar e denunciar o bandido, a orientação é desligar o telefone. Para variar, aproveitadores usando o momento frágil das pessoas para se darem bem à custa do sofrimento do outro. 

 

Comentários
×