Folias festejam o Dia dos Santos Reis

Da Redação

 Vários grupos de folias de reis e de outros fiéis devotos festejarão o Dia dos Santos Reis com missa especial, no próximo domingo, 6, a partir das 15h30, em Divinópolis. A celebração eucarística, que já é tradicional na cidade, será presidida por frei Leonardo Lucas Pereira, OFM, no Santuário de Santo Antônio. Na missa será prestada homenagem ao folclorista Domingos Diniz, morto, aos 85 anos, em 12 de julho de 2017, um dos incentivadores desta festa, que se realiza há quarenta anos.

O Dia dos Santos Reis Magos, no calendário católico romano, é comemorado em 6 de janeiro. A concentração dos grupos de folias acontecerá pouco antes da missa, na área externa do santuário. Todas as folias de Divinópolis e da região estão convidadas a participar da missa. Já confirmaram participação na celebração religiosa grupos de Itapecerica e São Sebastião do Oeste.

 Tradição
A folia de reis ou terno de reis é uma manifestação folclórica e religiosa que acontece durante a época do Natal, principalmente na região sudeste do Brasil, Minas Gerais e São Paulo. É considerada pelos folcloristas como um folguedo do ciclo natalino, isto é, que acontece no período que vai de 25 de dezembro – data do nascimento do Menino Jesus – até 6 de janeiro, data consagrada aos Santos Reis Magos – Baltasar, Belquior e Gaspar.

Alguns estudiosos afirmam que a folia de reis tem origem portuguesa. Oneida Alvarenga, por exemplo, afirma que essa tradição parece “(...) representar a confluência de dois costumes portugueses: o das corporações de ofícios, que se apresentavam em cortejo nas festas públicas, carregando a bandeira do seu patrono; o dos ranchos pedintes das Janeiras e Maias, com que se comemoram não só em Portugal, mas em quase toda a Europa, a entrada do ano e da primavera”.

Em geral, as folias de reis são formadas pelo bandeireiro (que, além de carregar a bandeira, exerce a função de recolher as esmolas), pelos palhaços – chamados de catirinas, marungos, bastiões e outras denominações –, além de uma orquestra de violas, violões, sanfona, cavaquinhos, reco-recos tambores etc., comandada pelo embaixador (ou mestre), que tira os cantos e é acompanhado pelos demais foliões, os quais respondem em coro polifônico, isto é, em várias vozes.

Os palhaços ­– personagens mais curiosos da folia– para uns simbolizam a luta entre o bem e o mal, para outros representam o tristemente famoso rei Herodes, que queria matar o Menino Jesus, e depois se converteu para o bem, além de várias outras criativas explicações.

Existem várias simpatias e orações populares para o período. Uma delas, a “Oração dos Santos Reis Magos” é assim rezada: “Assim como a Estrela do Oriente guiou os três Reis Magos, Baltasar, Belquior e Gaspar, a Jesus, guia-me, Senhor, nos meus negócios, trabalhos, saúde e estudos. Amém.” (Com: Mauro Eustáquio Ferreira)

Comentários
×