Fiscalizações da onda roxa impedem aglomerações na cidade e zona rural

Ações contaram com a participação da PM, Vigilância Sanitária e Settrans

Bruno Bueno

Quem acompanhou a imprensa e as as redes sociais na última semana certamente se deparou com um vídeo que causou revolta em muitos populares. Pessoas bebendo, dançando e aglomerando na barragem de Carmo do Cajuru, todas sem máscara. O fato, se não bastasse, ocorreu logo após os hospitais de Divinópolis atingirem 100% da ocupação dos leitos.

Porém, no último fim de semana, a situação no local foi bem diferente. Com intensa fiscalização da Polícia Militar, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros e Settrans, não foram registradas aglomerações na barragem que, vale ressaltar, são proibidas pelo decreto 14.263/2021, que colocou Divinópolis e demais municípios da macrorregião na onda roxa do programa Minas Consciente.

As ações dos órgãos de segurança pública também ocorreram em diversos locais da região Centro-Oeste, viabilizando o cumprimento das restrições do lockdown e impedindo aglomerações.

Fiscalizações

Segundo informações da Prefeitura de Divinópolis, 147 fiscalizações ocorreram entre sexta-feira, 19, e domingo, 21. Além da barragem de Carmo do Cajuru, os órgãos de segurança pública realizaram monitoramento no Lago das Roseiras, Paredão, Retiro do Lago e Gafanhoto. 

As feiras livres dos bairros Esplanada, Niterói e Planalto também foram averiguadas.

— A equipe fiscal realizou o controle de fluxo de pessoas nas feiras, além da organização das filas e controle interno dentro da feira para cumprimento dos protocolos — explicou a Prefeitura em nota divulgada ontem.

19 festas clandestinas, com aglomeração de pessoas, foram interrompidas pelos órgãos de segurança pública. Em uma delas, no bairro Porto Velho, 25 jovens, incluindo sete menores, foram abordados. 

Além disso, duas pessoas receberam infração após transitar na rua sem máscara. Duas lojas de conveniência, um supermercado, cinco lojas e uma indústria também foram penalizados.

Interdições

Dois estabelecimentos, que não estavam autorizados a funcionar por conta do decreto da onda roxa, foram interditados. A Prefeitura não informou o local das ações, porém, disse que se trata de uma barbearia e uma tabacaria. Uma loja de conveniência também foi fechada.

Ainda segundo a Prefeitura, uma equipe de monitoramento esteve presente em locais propícios a maiores aglomerações, como supermercados, agências lotéricas e padarias. Os campos de futebol da cidade também foram vistoriados.

Barreiras sanitárias

Além das fiscalizações, segundo a Polícia Militar, foram instaladas barreiras sanitárias em cidades da região.

Em Formiga, a barreira ocorreu na entrada de acesso ao balneário Furnastur. A ação, em conjunto com a Prefeitura, fez uma fiscalização relacionada à saúde, como medição de temperatura, verificação de cumprimento das medidas restritivas e de sinais gripais. 

Ações em Pará de Minas, Papagaios, Maravilhas, Pequi, São José da Varginha, Onça de Pitangui e Igaratinga também foram averiguadas.

Apelo

Em entrevista ao Agora, o responsável pelo 23º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Erlando Ferreira da Silva, fez um apelo à população para que cumpra as medidas restritivas.

— É um momento excepcional, nós contamos com a colaboração de todos. A fiscalização tende a ser mais incisiva, principalmente para coibir aglomerações e festas clandestinas que afrontam os decretos restritivos. Temos que unir forças para sair dessa situação — destacou.

Comentários
×