Fim de ano se aproxima e economista recomenda planejamento financeiro

Poupar e pesquisar preços estão entre as orientações do especialista

 

Jorge Guimarães

Falta pouco mais de três meses para o fim do ano. Será que ainda dá tempo de se organizar e terminar 2017 no azul? A resposta é sim, segundo especialistas no assunto. Mas, desde que se tenha disciplina e comece a mudar os hábitos já que há tempo de fazer uma revisão nas contas e traçar uma estratégia para o final de ano.

Tudo que se é pensando e elaborado anteriormente tem tudo para dar certo, principalmente o financeiro. Vida financeira equilibrada é o que todos querem para iniciar o ano, especialmente nos primeiros meses, quando o consumidor só vê siglas na sua frente, como O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), e outros.  

— É muito importante começar o ano no azul para planejar melhor o orçamento do ano que está começando. Mas, mesmo com a atual situação do brasileiro, se organizar é a principal arma para que o próximo ano venha com dias melhores, se assim podemos falar — alerta o economista Leandro Maia.

Metas

Quando se está economizando sem objetivo nenhum, fica muito mais difícil guardar dinheiro, afinal não se sabe para que será usado. Por isso, o economista alerta que é preciso pensar para se realizar um sonho, como comprar um carro, fazer uma viagem ou não ficar devendo no próximo ano,  e estabeleça prazos, lembrando de que eles precisam ser possíveis de se atingir.

– Poupar em até 20% de seus rendimentos é a melhor pedida para que se tenha uma boa economia. Pesquisar preços também é uma ótima opção e se for efetuar alguma compra, compre sempre a vista para conquistar descontos —avalia o economista.

13º

O salário extra, o 13º muita vezes já está direcionado a quitar dividas contraídas, bem antes do mesmo ser recebido pelo trabalhador.

— O certo seria que ele entrasse na contabilidade como um extra para servir de uma ajuda para que o ano seguinte seja mais aliviado. Mas nem sempre as coisas acontecem assim. Planejar e não gasta – lo antes da hora é sempre bem recomendado — lembra Leandro.

Mudança de hábito

Mudar os hábitos foi o que aconteceu com a maioria dos brasileiros ao longo de 2017. A compra de itens supérfluos nos supermercados, as saídas para jantar ou almoçar fora foram ficando de lado e estão em baixa.

— Antes, o meu fim de semana era só balada e de boates e bares eu chegava em casa ao amanhecer. Agora a balada continua, mas só que em casa, onde reúno os amigos, dividimos as despesas e tudo sai mais em conta, além da segurança ser maior —comenta o empresário de confecção Carlos Alves.

 

Comentários
×