Filas extensas continuam e Divinópolis perde no exemplo

Paulo Vitor Souza 

As grandes filas de beneficiários em busca do auxílio emergencial continuam em Divinópolis. Enquanto cidades da região já implementam medidas para amenizar o tamanho delas e dar mais dignidade a quem espera pelo benefício, Divinópolis ainda não formulou nenhuma solução para garantir maior segurança de quem se expõe nas filas. 

Na última terça-feira, 5, a 48ª Subseção da OAB e o Sindicato dos Bancários estiveram na agência da avenida 1º de Junho. O objetivo das duas entidades é formular um sistema de não aglomeração, que otimize o atendimento dos clientes e resguarde a saúde dos atendentes da agência.

— Estamos buscando uma solução para esse problema que todos vêm enfrentando. A ideia é buscar uma solução criativa para resolver o problema das pessoas que estão na fila e também resguardar a saúde dos funcionários da Caixa Econômica Federal (CEF), que têm trabalhado e se dedicado muito para atender a demanda da população. A OAB busca essa solução que atenda os interesses de todos os envolvidos — disse o presidente entidade  em Divinópolis, Manoel Brandão. 

Entre várias reclamações de pessoas que enfrentam a fila, a falta de informação é a principal delas. Pessoas que ainda não sabem se vão receber o auxílio estavam em busca de orientação dos atendentes, isso porque não conseguiram resposta pelo aplicativo disponibilizado para a consulta ao benefício. O Sindicato dos Bancários lembrou que uma das dificuldades enfrentadas é a insuficiência no número de funcionários, o que vem ocasionando a demora na prestação do serviço.

— O intuito é orientar as pessoas que funcionários da CEF estão fazendo o trabalho, focados no atendimento social. Hoje temos mais ou menos 20 empregados na agência. É insuficiente. O volume de atendimento é muito grande, mas é importante respeitar estes trabalhadores, porque eles também estão colocando em risco a vida. O objetivo aqui não é causar tumultos, não é apontar erros. Nós vamos buscar solução com a Prefeitura e com o auxílio da OAB  — pontuou o diretor jurídico do Sindicato dos Bancários de Divinópolis, Lívio Santos e Assis.

Impasse

Enquanto beneficiários de Divinópolis não têm nenhum apoio durante o tempo na fila,  Nova Serrana implantou um modelo de organização que envolve assentos e tenda para proteção contra o sol. Em Formiga não é diferente. Lá, o Executivo sistematizou fila dupla coberta e obedecendo ao distanciamento social. Em Alfenas, no Sul do estado, o Município estabeleceu critérios para funcionamento de agência e correspondentes bancários. Entre as regras do decreto, estão a priorização de atendimentos de auxílios sociais como o emergencial e FGTS, a obrigatoriedade de atendimento de contingenciamento a fim de evitar aglomerações e a proibição de atendimento para clientes sem máscaras ou que não obedeçam ao teste de medição de temperatura. A Prefeitura também proibiu a formação de filas para atendimento nas dependências de agências bancárias.

Em Divinópolis, parece ainda não haver acordo. Segundo o Sindicato dos Bancários, todas as reivindicações e sugestões feitas em conjunto com a OAB serão levadas à Câmara e ao Executivo.

Questionada se há algum planejamento para evitar aglomeração e oferecer melhores condições de espera aos beneficiários, a Prefeitura disse que não existe nada sendo feito nesse sentido, uma vez que a Caixa já foi notificada sobre as aglomerações. A Administração também disse que se colocou à disposição do banco para auxiliar na contenção das filas, mas que até hoje não teve resposta do ofício enviado à instituição bancária. Por fim, informou que, de acordo com o decreto municipal, a responsabilidade pelos cuidados da fila e atendimento ao consumidor é do banco. 

Próximos pagamentos

Com a ineficácia do calendário de pagamento criado pela Caixa para justamente evitar as filas, o governo federal fará modificações no calendário de pagamentos da segunda parcela do benefício emergencial. O novo cronograma será divulgado hoje e promete dar mais espaços entre datas para evitar aglomerações.

Ontem, foi possível ver uma diminuição no volume das filas. Por volta das 10h, eram poucas as pessoas que aguardavam atendimento. Segundo o Sindicato dos Bancários, para os próximos dias, uma parceria com a Copasa garantirá a distribuição de água àqueles que estiverem esperando. A entidade também disse que aguarda posicionamento da prefeitura.

Comentários
×