Fila gigante se forma em frente a posto em Divinópolis, mas combustível não chega

Gisele Souto
Ricardo Welbert

Divinópolis e região amanheceram nesta terça-feira, 29, no 9º dia de protestos dos caminhoneiros. Sem combustível e com restrição em diversos pontos das estradas, faltam produtos em supermercados, sacolões e padarias.

Além disso, um fato inusitado chamou atenção. Dezenas de pessoas de várias partes da cidade formaram uma fila quilométrica em posto um de combustível na avenida Magalhães Pinto, no bairro Niterói. Eles foram informados de que chegaria combustível nesta manhã.

Porém, o posto permanece fechado e, por enquanto, os responsáveis pelo estabelecimento falam que não há previsão. A fila dobra ruas adjacentes à avenida e tem muita gente que não vai arredar pé do local, na esperança da chegada do produto.

Na expectativa

Enquanto aguardavam na fila, muitas pessoas disseram que um caminhão chegaria escoltado pela polícia. Surgiu por lá a informação também de que outro chegaria a um posto no bairro Santa Clara. Porém, até o momento, as afirmações não foram confirmadas pela Polícia Militar (PM).

Domingo teve

Na noite de domingo de domingo, 27, alguns postos de combustíveis da cidade chegaram a receber uma carga de etanol, mas o combustível terminou nesta segunda-feira, 28.

Segundo a Minaspetro, essa chegada foi pontual e ainda não se sabe se ocorrerá de novo. Isso porque a prioridade nas refinarias tem sido o fornecimento de combustíveis a serviços essenciais, como segurança, transporte público e saúde.

Risco

A promotoria de Defesa do Cidadão do Ministério Público mineiro em Divinópolis emitiu na segunda uma recomendação aos proprietários de postos revendedores de combustíveis para que abasceçam racionando o estoque. Está permitida a venda de apenas 30 litros de combustível por veículo.


O abastecimento de ambulâncias e viaturas policiais não tem limite.

Comentários
×