Feriado prolongado não registra mortes nas rodovias da região

Apesar do dado histórico, o melhor dos últimos anos, uma mulher perdeu a vida após ser atropelada em Divinópolis

 

Bruno Bueno

Os feriados prolongados costumam ser marcados pelo grande índice de acidentes nas rodovias do Centro-Oeste mineiro, que muitas das vezes tiram a vida de quem tirou os dias para  descansar ou mesmo seguia de uma cidade para outra. No entanto, em 2021, a situação foi bem diferente, e para melhor. 

Conforme informações da 7ª Companhia da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), nenhum acidente com vítima fatal foi registrado na região. O resultado, segundo a polícia, foi obtido por meio das operações Rota Segura e Padroeira. A região, que comporta 50 municípios e dois mil quilômetros de rodovias, registrou o melhor resultado dos últimos anos.

 

Operações

A Rota Segura foi deflagrada pela 7ª Companhia de PMRv no último dia 8.  O lançamento aconteceu na MG-050, entroncamento com a BR-354, em Formiga e, após o ato, foram realizadas blitz educativas e houve a distribuição de material educativos.

— Realizamos a operação visando conscientizar os condutores de veículos e usuários das rodovias sobre a chegada do feriado prolongado e início do período chuvoso. Participaram do evento diversos órgãos relacionados ao trânsito rodoviário, inclusive contamos com a presença do helicóptero da Polícia Militar — informou o órgão em nota.

No feriado, dia 12, a 7ª Companhia de PMRv lançou a operação Padroeira. A polícia deu mais detalhes sobre a ação.

— A operação foi deflagrada como forma de prevenir os acidentes de trânsito no retorno do feriado prolongado. Realizamos ações finalísticas de conscientização e apoio aos condutores e usuários das rodovias que compõem o Centro-Oeste de Minas Gerais — explicou.

 

Comemorou

Em nota, a assessoria de comunicação da 7ª Companhia de PMRv comemorou o resultado obtido e ainda destacou a queda no índice de acidentes de trânsito com vítimas.

— No acumulado do mês de outubro, comparando 2021 com o mesmo período do ano passado, estamos com uma redução de 28% nos acidentes de trânsito com vítimas. Agradecemos a todos os nossos policiais militares empenhados e todos os agentes empenhados dos órgãos que nos apoiaram — disse.

Ao todo, participaram da operação quatro companhias da PM, dois batalhões, a Defesa Civil (Regional), DER, Dnit, Concessionária Nascentes das Gerais, Sest/ Senat e Samu Centro- Oeste.

 

Morte

Se não houve vidas perdidas nas rodovias, na cidade, não se pode dizer o mesmo. O feriado de Nossa Senhora Aparecida foi marcado pela morte de uma mulher, atropelada no bairro Nações, em Divinópolis. A área não faz parte da cobertura da operação, que focou nas rodovias.

Segundo informações do Samu, um condutor perdeu o controle da direção depois de bater em outro veículo e atropelou a mulher de 62 anos no fim da manhã desta terça-feira, 12. Depois de atingir a vítima, ele seguiu desgovernado e bateu em um poste. O acidente ocorreu na estrada que liga Divinópolis a Carmo do Cajuru. 

— Ao chegarem ao local, as equipes foram informadas que dois carros colidiram, um Gol e um Fox. Um deles (Gol) atropelou uma mulher, seguiu desgovernado e bateu em um poste que caiu em cima do veículo — informou o Samu em nota.

O Corpo de Bombeiros e o Samu atenderam a ocorrência,  mas, quando chegaram ao local, a vítima já estava sem vida. A perícia da Polícia Civil (PC) também esteve no lugar em que o acidente foi registrado.  Outras causas ainda são apuradas.

A via principal foi interditada nos dois sentidos e o trânsito ficou extremamente lento. Várias pessoas se aglomeraram no local para acompanhar os trabalhos feitos pelas autoridades.

 

Atendimentos

O Samu deu mais informações sobre os atendimentos realizados às vítimas no local.

— Realizaram o atendimento de um homem, de 64 anos, que estava consciente, com suspeita de fratura no osso do meio do tórax. Recebeu os primeiros atendimentos, foi imobilizado e encaminhado para o Pronto Atendimento do Complexo de Saúde São João de Deus. Uma mulher, de 63 anos, também consciente, estável, queixando dor torácica. Recebeu os primeiros atendimentos, foi imobilizada e encaminhada para a UPA. Eles estavam no carro que bateu no poste — disse.

Outro homem, sem idade identificada, que estava no outro carro (Fox), só ficou muito assustado e não quis ser encaminhado para avaliação secundária.

Comentários
×