Feriado é marcado por manifestações a favor e contra o governo federal em Divinópolis

Apoiadores de Bolsonaro se reúnem na Praça do Santuário e organizam caravanas para Brasília e São Paulo; oposição se dirige à Praça Candidés

 

Bruno Bueno

7 de Setembro. Há 199 anos, dom Pedro I declarou, às margens do Rio do Ipiranga, a independência do Brasil. Independência esta que até os dias de hoje é questionada. Neste ano, o tradicional feriado comemorativo promete ser marcado por manifestações pró e contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Inúmeras pessoas são esperadas nos quatro cantos do país para reivindicar seus pedidos. 

Divinópolis, maior cidade do Centro-Oeste mineiro, não ficará de fora. Duas manifestações pró e contra Bolsonaro são esperadas ao longo do dia na cidade. Enquanto os apoiadores do presidente se reúnem na Praça do Santuário, a oposição se encontra na Praça Candidés ao lado da ponte que liga o Centro ao bairro Niterói. Além disso, três grandes caravanas organizadas por movimentos a favor do presidente saíram do município em direção a Brasília e São Paulo.

Pró-governo

A manifestação a favor do presidente Bolsonaro em Divinópolis ocorre às 9h, na Praça do Santuário, e é organizada pela União das Igrejas Evangélicas de Divinópolis (UIED). Mesmo com o encontro sendo divulgado como religioso e momento de oração cristão, a informação de que o evento também apoia o presidente foi confirmada por um dos organizadores, o ex-vereador e membro do Movimento Brasil Acima de Todos (MBAT), Sargento Elton.

— Em Divinópolis teremos a manifestação da família cristã na Praça do Santuário, às 9h. Será um momento de oração com líderes religiosos para defender nossos direitos fundamentais, especialmente o de ir e vir e se expressar sem ser preso. Força e honra, estamos aqui para servir — disse em vídeo publicado nas redes sociais.

A manifestação tem contado com ampla divulgação dos movimentos de direita de Divinópolis, além de representantes políticos. Segundo o ex-vereador, é esperado um grande número de pessoas no local. 34 entidades religiosas, católicas e evangélicas, confirmaram presença.

Caravanas

O político e policial da reserva também deu detalhes sobre as caravanas que saíram de Divinópolis em direção às manifestações que ocorrem em São Paulo e Brasília. 

Conforme Sargento Elton, os dois especiais para São Paulo saíram ontem à noite da Praça do Santuário e o direcionado a Brasília partiu no último domingo, 5, da Praça da Catedral. Cerca de 140 pessoas, 92 para a capital paulista e 42 para o Distrito Federal, viajaram nas caravanas.

— Estamos saindo com dois especiais com sentido à avenida Paulista. Esses já estão lotados. Também vamos a Brasília e ficaremos acampados em frente ao Senado para exigir o impeachment desses dois ministros que estão intervindo nos nossos direitos fundamentais, fazendo prisões ilegais e fechando cultos dos cristãos — afirmou.

Ele também deu detalhes sobre as reivindicações da manifestação a favor do presidente. Segundo Elton, as atividades buscam pressionar um pedido de impeachment para dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que, segundo os manifestantes, atrapalham o trabalho de Bolsonaro. Além disso, os apoiadores pedem o voto impresso auditável nas próximas eleições.

— Patriotas, conservadores, trabalhadores, cristãos, trabalhadores e povo do bem de Divinópolis: estou aqui para esclarecer sobre as manifestações do dia 7 de setembro. Nós estamos lutando pelo direito de ir e vir, de culto religioso e de expressão, que está sendo punido por dois ministros do STF — finalizou.

Contra o governo

Divinópolis também terá manifestações contra o governo do presidente Jair Bolsonaro. No município, o evento ocorre às 15h30, na Praça Candidés, próxima à ponte do Niterói. 

Segundo informações do professor José Heleno Ferreira, um dos organizadores do evento, a atividade, chamada de “O Grito dos Excluídos e das Excluídas”, já é uma tradição no país e trata-se de um momento em que muitas organizações religiosas realizam uma manifestação na qual os pobres são chamados a se pronunciar, a apresentar suas reivindicações e também suas lutas em defesa do direito à vida. 

— O Grito dos Excluídos e das Excluídas vem sendo realizado há muitos anos por grupos religiosos em todo o país, sempre no dia 7 de setembro. Neste ano, o Grito será realizado em sintonia com o Movimento Fora Bolsonaro em diversas regiões do país — explicou.

Motivações

Ainda segundo o organizador, a manifestação está sendo realizada pela necessidade de lutar por alguns direitos considerados fundamentais. José ainda explica que, na sua opinião, a manifestação busca lutar contra os supostos discursos de ódio proferidos por Bolsonaro. 

Ele ainda explicou que a manifestação não é uma resposta às atividades pró-governo que ocorrem no mesmo dia.

— O que motiva a manifestação é a necessidade de lutar pelo direito à vida, à educação pública, à saúde, contra a devastação ambiental, pelos direitos dos povos indígenas. A necessidade de lutar contra os discursos de ódio que vêm sendo "patrocinados" pelo atual governo brasileiro.  Não se trata de uma resposta às manifestações pró-governo que estão sendo preparadas para o mesmo dia — ressaltou.

Expectativa

À reportagem, o professor relata que não haverá  caravanas contra o governo saindo de Divinópolis para outras cidades. Ele também conta que espera 300 pessoas na manifestação de hoje.

 — Vale ressaltar que não terá em direção a Brasília e São Paulo. O horário e local da manifestação foram definidos pelas lideranças religiosas. Será realizada uma celebração ecumênica na Praça Candidés e, logo após, os movimentos sociais/populares/sindicais se pronunciarão. Nossa expectativa é que tenhamos a presença de aproximadamente 300 pessoas — finalizou.

Polícia Militar

O Agora também entrou em contato com a 7ª Região da Polícia Militar (RPM) para averiguar possíveis ações da corporação em relação às manifestações. Segundo a assessoria de comunicação, a PM estará nos eventos para garantir a segurança da população.

— A 7ª Região da Polícia Militar vai realizar o acompanhamento das manifestações do dia 7 de setembro em Divinópolis e nas cidades da região. A princípio, estão sendo feitos levantamentos de quaisquer tipos de atividades relacionadas para trazer segurança à população — afirmou.

O comando da PM também enfatizou que já recebeu documentos de aviso sobre as manifestações e garantiu que todos os policiais da corporação estarão trabalhando durante o feriado.

— Nós já levantamos os pontos possíveis de aglomeração. Recebemos ofícios indicando manifestações e estaremos nos locais. Todos os policiais da corporação serão empregados no feriado, tanto administrativos como os de rua estarão a serviço da população — concluiu.

E no país?

As manifestações também se estendem a todo o país e devem reunir um grande número de pessoas, principalmente nas capitais. Em São Paulo, mais de dois milhões, segundo expectativa das lideranças, devem se reunir a favor do presidente Jair Bolsonaro. Em contrapartida, mais de 131 atos contra o presidente também são esperados em várias cidades do Brasil e do exterior. 

Na capital mineira, o ato programado em defesa do presidente está marcado para as 10h, na Esplanada do Mineirão, na Pampulha. O grupo seguirá pela avenida Carlos Luz, passando pela avenida Dom Pedro II, elevado Helena Greco e avenida Bias Fortes, até a Praça da Liberdade. Já a manifestação contra o presidente começa na praça Afonso Arinos, no Centro da cidade, também às 10h. O grupo segue para a Praça 7 e, depois, para a Praça da Estação.

 

Comentários
×