Feira de calçados aposta nos compradores internacionais

Pablo Santos

Importadores da Argentina, Bolívia, Colômbia, Costa Rica, Estados Unidos, Equador, Guatemala, Panamá, Peru e Uruguai confirmaram presença na tradicional Feira de Calçados de Nova Serrana (Fenova). O maior polo calçadista esportivo do país recebe, entre os dias 17 e 19 de março, lojistas e distribuidores do continente americano no Centro de Convenções. No ano passado, as exportações do polo recuaram 15%, de acordo com os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDCI).

Em 2019, Nova Serrana faturou US$ 10 milhões com as exportações. O volume foi 15,4% menor na comparação com 2018.

Neste ano, dois primeiros meses, já foram negociados US$ 1,3 milhão, representando 71% a mais na comparação com o mesmo período de 2019.

A Argentina é o principal parceiro comercial de Nova Serrana. Dos US$ 10 milhões de faturamento com calçados, 86% foram destinados para o país vizinho. O Equador aparece na segunda posição com 6,7%, acompanhado de Colômbia (2,2%) e Uruguai (1,3%).

Para o presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova), Ronaldo Andrade Lacerda, o polo tem grande potencial de exportação e a feira é o momento de apresentar as novidades para os novos clientes.

— Neste ano a grande novidade é que teremos compradores dos Estados Unidos na feira. Já entraram em contato com o polo, estamos em negociação e queremos trazê-los para aumentar nossos negócios aqui. A feira é a maneira que nós temos para mostrar nossos produtos, nossas empresas, de criar a rede de contatos — ressalta Lacerda.

Neste ano, o Sindinova projeta aumento de 6% em comercializações em relação ao ano passado.

Captação

Para viabilizar os negócios com os compradores, foi realizado um trabalho de captação de negócios internacionais pelo núcleo de exportação do Sindinova. Serão 23 importadores na maior feira de calçados de Minas Gerais.

Iniciado no ano passado, o projeto de atração de lojistas internacionais apresentou resultados positivos. Oito grandes importadores que vieram na última feira realizaram compras no polo.

Na opinião da agente de comércio exterior, Ana Luísa Gomes, as empresas estão otimistas com as vendas e a viabilidade de abertura a novos mercados.

— Os importadores já estão solicitando as marcas confirmadas, os catálogos para adiantar os trabalhos, querem fazer visitas técnicas para conhecer a estrutura das fábricas. Isso é muito positivo. Acredito que o trabalho será muito eficaz, já que as fábricas estão preparadas para recebê-los na feira — afirma Ana Luísa.

Comentários
×