Feijão tem ligeira alta e preço da carne cede

Jorge Guimarães

Não foi somente o preço da carne que assustou aos consumidores neste último trimestre de 2019. Segundo especialistas, a entressafra e as complicações climáticas, somadas à redução das áreas plantadas, são alguns dos motivos da alta de algo em torno dos 5% do feijão. Já a carne de boi deve dar um alívio neste início de 2020, pois o preço da arroba está caindo e fechou, na última sexta-feira, 3, abaixo dos R$ 200 pela primeira vez desde meados de novembro último, encerrando o ano a R$ 198,85.

Preços

A reportagem verificou, na loja de uma rede de supermercados, na manhã de ontem, que os custos do feijão podem ter uma alta variação entre as várias marcas existentes no mercado. Assim, a pesquisa de preço se torna uma aliada indispensável do consumidor. Entre os valores, o do feijão carioquinha oscilava entre R$ 1,79 e R$ 6,49. Já o preto estava sendo comercializado a R$ 4,99, o jalo a R$ R$ 6,99, o rosinha a R$ 7,69, o vermelho a R$ 5,89 e o branco a R$ 6,39. Entre as carnes em promoção, o quilo da chã de dentro era vendido a R$ 24,90, o mesmo preço da chã de fora e lagarto. A maçã de peito e o músculo, por sua vez, saíam por R$ 17,90, a alcatra a R$ 27,90, e o fígado bovino a R$ 10,90. 

Frutas

Com a chegada do verão, as frutas se evidenciam mais nas refeições. Neste período, duas delas vêm à mente de boa parte dos consumidores, a laranja e a manga, todas com preços menores neste ano. Ontem, em um supermercado, a manga tommy estava a R$ 2,49, o mamão formoso, o melão branco e a melancia baby saíam a R$ 1,99. Já a banana caturra ou o limão tahiti eram comercializados por R$ 2,39.

Comentários
×