Fechamento de companhia faz parte de reestruturação, diz PM

Gisele Souto

O fechamento da 142ª Companhia da Polícia Militar no bairro Interlagos tem sido motivo de polêmica e mal-entendido, principalmente, por parte da população moradora da região Sudeste que ainda desconhece os motivos, propagados de forma equivocada, conforme o Comando Regional da PM. A mudança é, de acordo com o comando da 7ª Região da PM, parte do projeto de reestruturação operacional da polícia e tem como objetivo fortalecer a atividade de policiamento ostensivo, com vistas a uma maior aproximação com a comunidade.

A medida visa ainda, segundo o comandante regional da 7º Região, Marcelo Augusto dos Santos, disponibilizar mais efetivo para reforçar o policiamento, com o emprego dos policiais militares que atualmente atuam de forma interna da 142ª, na Base Comunitária Móvel (BCM).

Funcionamento

A BCM será empregada diariamente com quatro militares, sendo dois para o registro de ocorrências policias na própria base e dois em motocicletas, realizando patrulhamento preventivo precedido, segundo a PM, de um criterioso planejamento, com prioridade de atuação nos pontos comerciais e praças, a fim de atender os anseios comunitários.

Além da base e das motocicletas que serão empregadas no setor, as viaturas continuarão sendo lançadas no patrulhamento preventivo normalmente na área.

— O policiamento estará muito mais próximo da comunidade, tendo em vista que a base ficará em pontos diferentes nos quais constatarmos a necessidade. O prédio em si instalado não afugenta criminosos. Um exemplo é a lotérica na esquina da rua da Companhia, assaltada diversas vezes — argumenta.

Demandas

A PM ressalta ainda que o comandante do setor estará à frente da BCM para assegurar o pronto atendimento das demandas de segurança pública da região.

— A Base Comunitária funciona como um ponto de apoio e de referência para o cidadão que necessita de ajuda da Polícia Militar, seja para buscar orientações, o registro ocorrências ou mesmo para fazer denúncias, além de levar segurança aos locais onde se instala — resume o comandante Marcelo Augusto.

Meio Ambiente

A incorporação da PM Ambiental ao 5º Pelotão da Polícia Rodoviária também está prevista no projeto de reestruturação do comando-geral. Funcionando há anos na entrada do Parque da Ilha, será mais útil, na avaliação da polícia, juntando-se à companhia, que tem à frente o major Paulo Antônio, o qual já comanda o Trânsito e Meio Ambiente. A ideia é facilitar o atendimento de demandas ininterruptas.

Comentários
×