Fazei a mim

Israel Leocádio

Olá! Como vai? Dias difíceis, não? Em tempos assim, é necessário um espírito positivo e uma alma resiliente. Caso contrário, o que já é difícil torna-se ainda mais complicado. Acredito que a mudança deve iniciar em nossa mente. O livro de Provérbios 23.7 afirma: “assim como você imagina em sua mente, assim é”. Tudo começa em nossa mente, ou seja, somos os maiores responsáveis pela transformação do que está ao nosso redor. E, quando se trata de momentos difíceis, isso fica ainda mais claro. 

Momentos de crise mudam as eras. A meu ver, uma grande tragédia dá início a uma nova etapa. Foi assim ao longo da história da humanidade. A humanidade que se segue, após uma tragédia, tende a mudanças comportamentais. Uma nova etapa se inaugura na forma do ser humano enxergar as coisas (pelo menos da maioria).

Outro fator interessante e positivo é que momentos de crise revelam heróis e covardes. Na segunda guerra mundial, algumas pessoas se destacaram como heróis, salvando vidas inocentes da ira maligna de Adolf Hitler. Com uma coragem digna de filmes de Hollywood, algumas pessoas esconderam pessoas em porões de suas casas, salvaram crianças no porta-malas de seus carros, entre outras formas. Heróis aparecem nas crises. Como hoje temos visto heróis anônimos aparecendo. Uma característica é comum aos heróis, além da coragem: o altruísmo. Esses fantásticos valentes não se importam com suas vidas mais que com a sobrevivência do outro. Heróis são forjados no fogo da batalha, em meio às bombas. Um herói corre para salvar um amigo (ou até um estranho), na batalha.

O que torna ainda mais especial tudo isso é que ainda que as pessoas que agem desta forma não busquem recompensa (até achem natural), e até fazem "o bem sem olhar a quem", na realidade, serão muito bem recompensados. Não me refiro ao salário. Nem aos abraços e à gratidão dos que podem salvar. Mas porque (sem saber, ou sem se recordar) fazem todo o bem ao próprio Jesus em pessoa. Isso mesmo! Isso foi o que o próprio Senhor Jesus disse: “Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes” (Mateus 25.35-40). Você é capaz de imaginar o que Deus dará como recompensa aos que fizerem algum bem aos seus filhos? E o que dará aos que fizerem a Jesus?

Passamos pela vida sem nos dar conta dos que necessitam de ajuda. Mas que o tempo em que estamos vivendo sirva para despertar esta geração para os famintos, necessitados, abandonados, solitários, esquecidos. Que possamos mudar a história quando pudermos andar pelas ruas livremente.

 

Israel Leocádio

 

Comentários
×