Faturamento da indústria avança, mas rendimento cai

Pablo Santos

As atividades do setor extrativo mineral avançaram e a indústria mineira aumentou faturamento. A conclusão é da pesquisa Indicadores Industriais de agosto.

Conforme o levantamento, foi registrado crescimento de 4,3% no faturamento da Indústria Geral (indústria de transformação + indústria extrativa), em relação a julho.

— O aumento é atribuído aos dois segmentos da indústria, especialmente ao extrativo mineral, dada a retomada da produção em minas que estavam com as atividades paralisadas — destacou a nota técnica da Fiemg.

Outro ponto positivo da pesquisa foram as horas trabalhadas na produção da Indústria Geral com crescimento, após dois meses de quedas, e marcaram o melhor desempenho para o mês desde 2013. Apesar da expansão do emprego, a massa salarial e o rendimento médio da indústria geral recuaram.

Conforme a pesquisa, de janeiro a agosto, os indicadores da indústria ainda mostraram fraco desempenho. Apenas o emprego registrou crescimento – o primeiro para o período desde 2013.

— Entretanto, o avanço do índice foi pequeno, sugerindo uma retomada ainda tímida das contratações do setor. O panorama para a indústria nos últimos meses de 2019 segue desafiador, tendo em vista a perspectiva de continuidade de paralisações parciais no setor Extrativo Mineral e o cenário externo menos favorável, com desaceleração da atividade de importantes parceiros comerciais. Por outro lado, a queda dos juros, a expansão do crédito, a leve melhora do mercado de trabalho e a liberação do FGTS tendem a contribuir para o aumento do consumo doméstico no último quadrimestre do ano — analisou a nota técnica da Fiemg.

Faturamento

O avanço no faturamento refletiu as expansões nas indústrias de transformação (1,2%) e extrativa (51,9%). Frente a agosto de 2018, o índice geral recuou 9,0%, em razão dos decréscimos nas indústrias de Transformação (-8,0%) e Extrativa (-18,5%).

No acumulado do ano, o índice geral caiu 5,2%, em decorrência das retrações na Indústria de Transformação (-0,8%) e na Indústria Extrativa (-45,2%). No acumulado dos últimos 12 meses, o indicador geral registrou queda de 3,2%, influenciada pelos recuos nos dois segmentos da indústria.

Comentários
×