Faltam apenas 180 minutos para a festa

Batendo Bola 

José Carlos de Oliveira 

jcqueroviver@hotmail.com.br

Agora está mesmo valendo. A primeira fase do estadual foi bonita e a campanha do Guarani não é para ser esquecida por ninguém. Deve mesmo ser motivo de orgulho não só para os torcedores do time, mas para toda a população de Divinópolis, pois afinal o clube é um patrimônio da cidade e não apenas uma responsabilidade de meia dúzia de apaixonados dirigentes.

Campeão simbólico da fase de classificação do Módulo II, com 23 pontos somados, em 7 vitórias, dois empates e apenas duas derrotas, em 11 jogos; melhor ataque do torneio, com 20 gols marcados; defesa menos vazada (ao lado do Uberaba Sport), com apenas 9 gols sofridos, o Guarani vai agora para o mata-mata das semifinais, onde não tem o direito de errar. Serão apenas 180 minutos de bola rolando, onde tudo poderá acontecer.

 Vantagens 

Tudo que bem que o alvirrubro vá para o mata-mata com direito a jogar por dois empates, ou vitória e derrota com a mesma diferença de gols, e tendo ainda como prêmio a vantagem de fazer o segundo duelo no Estádio Waldemar Teixeira de Faria, o Farião, no bairro Porto Velho, mas apenas e tão somente isto.

Nada que garanta ao clube o retorno à elite do futebol mineiro. O Bugre terá de provar sua superioridade é agora, em campo, em dois jogos que vão deixar o torcedor com o coração na mão.

 O adversário 

Muitos dizem, e estão cobertos de razão, que no futebol já não existe time bobo, e que em época de decisão as forças se equivalem. E esta é, sim, uma grande verdade, que deve ser levada em conta, além do fato de que o Bugre terá de enfrentar um grande time, a quem não venceu na primeira fase. E com um ingrediente a temperar ainda mais o mata-mata: um adversário que ganhou um grande reforço na reta final do Mineiro.

Isto mesmo, o Uberaba Sport, que vai fazer a semifinal contra o Guarani em dois jogos, reforçou-se financeiramente com a chegada da MRV Engenharia, que vai patrocinar o clube a partir de agora.

Nova fase

 Nada apaga o que foi feito pelo Guarani até aqui, mas que Gian Rodrigues, seus comandados, os dirigentes e, de resto, toda a apaixonada torcida bugrina tratem de fazer bem o papel que lhes compete daqui até o final.

Ao treinador e aos jogadores, a sugestão é para que encarem as semifinais como ela realmente ela é: um novo campeonato, onde tudo pode acontecer. Se até aqui eles foram quase perfeitos, devem saber que terão de jogar tudo o que sabem e mais um pouco a partir de agora. E todo cuidado ainda será pouco daqui para frente.

Um pedido 

Mas é o torcedor que deve ficar ainda mais alerta nos próximos duelos. Deve saber que poderá, sim, ser fator decisivo a favor do Guarani. Se até aqui ele jogou junto e já mostrou sua força, terá de ser ainda mais vibrante nos confrontos finais.

Já para a partida do dia 21, partida de volta das semifinais contra o Uberaba Sport, lotar o Farião e ser o 12º jogador do time passou a ser uma obrigação da torcida.

E este atual elenco do Guarani bem que merece este apoio. Até aqui eles fizeram a parte deles e honraram a camisa do clube, mostrando que merecem, sim, serem os últimos a festejar. Que a torcida entenda isso e seja a força extra na hora da decisão. É tudo que pode se querer e pedir nestas horas.

MANGUEIRAS BRASIL 

Guarani jogou para o gasto 

No duelo de sábado, empate em 1 a 1 com o América-TO, ficou evidente que o Guarani estava com um olho em campo e o outro voltado para os resultados dos demais jogos da rodada, esperando para conhecer seu futuro adversário.

O time jogou para o gasto, não fez uma de suas melhores exibições, mas mereceu sair com o empate. E com um algo mais a festejar: a grande atuação do garoto Leo Torres, o melhor atleta em campo.

Comentários