Falta médicos em 12 unidades de saúde em Divinópolis

 

Da Redação

Em Divinópolis, quem busca atendimento nas unidades de saúde pode acabar tendo que buscar outra localidade. Isso porque, devido à falta de médicos, o quadro de profissionais tem sido prejudicado. Segundo a Prefeitura, em 12 unidades de saúde há falta de médicos. São elas: Candidés, Ermida II, Campina Verde, Nova Holanda, Niterói, Afonso Pena, Itaí, Centro Social Urbano (CSU), Central, Nações, Jusa Fonseca e Santos Dumont.

Não há previsão para chegada de novos profissionais nestas unidades.

Menos médicos

Em fevereiro, dois meses após a chegada de 18 profissionais para o “Mais Médicos”, oito deles já haviam deixado o cargo. Em contato com o Ministério da Saúde (MS), solicitando a condução de novos médicos para os cargos em aberto, o órgão informou que iria encaminhar profissionais para a reposição, porém sem data definida.

A Prefeitura informou que para cada desistência há um motivo. Dentre as razões para a saída do programa está, por exemplo, a aprovação em provas para residências.

Quando anunciou o desligamento desses médicos do governo federal, a Prefeitura informou também outras consequências, para além do comprometimento do quadro de funcionários: a possibilidade de perder recursos e a superlotação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Na época do anúncio, no fim de fevereiro, faltavam médicos em dez unidades de saúde. Pouco mais de um mês depois, esse número subiu para doze. 

Importância

Em 18 de dezembro, os profissionais do “Mais Médicos” chegaram a cidade e receberam orientações sobre a estrutura de saúde. Na oportunidade, o secretário Municipal de Saúde, Amarildo de Sousa, destacou que o programa do governo federal é de suma importância para completar os cargos na área.

— O “Mais Médicos” supre essa necessidade [de médicos nas unidades] e se torna um programa mais atrativo. Para Divinópolis, hoje, significa a possibilidade de completar as equipes de Estratégia Saúde da Família (ESF), sem o problema do processo seletivo, que a gente tentou várias vezes e não conseguiu — informou na época.

Segundo o secretário, o salário oferecido pelo programa, por ser maior, acabar atraindo mais pessoas do que os editais abertos pelo Município.

Valores

De acordo com o Executivo, o salário base de um médico na cidade é de R$ 2.819,37, por 12h semanais; por 40h semanais, esse valor é de R$ 9.361,24. Já o governo federal, através do “Mais Médicos”, paga R$ 11.865,60, por 32h semanais. 

 

Comentários
×