Falta de remédio na Farmácia Municipal aflige pacientes

 

Rafael Camargos 

A falta de medicamentos vem se tornando um ato constante na Farmacinha Municipal de Divinópolis. Muitos moradores estão há 30 dias ou mais sem receber alguns medicamentos. Os mais comuns são as fitas de medir glicose, entretanto, existem outras queixas.  A situação de descaso é vivida na pele por Edmilson Marques Carvalho, que está sem a medicação. Ele utiliza alprazolam, rivotril e diazepam.

— Têm uns dois meses que eu não tomo o medicamento. O pessoal da farmacinha pede a gente para comprar. Vamos fazendo vaquinha daqui ou dali e comprando. Eles falam que não tem previsão para chegar. É complicado — comentou.

Edmilson ainda conta que no seu bairro outras pessoas estão na mesma situação que ele.

— Sou eu e mais umas 600 pessoas. Estamos em uma região mais carente. O pessoal perde a caminhada e não tem dinheiro para comprar. Quando tenho algum aqui em casa, eu até arrumo para as pessoas. É difícil. Chega um mês e fica mais seis sem vir — comentou.

Câmara

A denúncia de Edmilson chegou aos ouvidos do vereador Cezar Tarzan (PP), que na reunião ordinária de ontem, usou a tribuna para falar sobre o assunto.

— Entramos em contato com a farmacinha e fomos informados de que estão em processo de licitação, e só no início do mês que vem terão uma resposta. Isso é um absurdo. Falta fitinha, falta dieta. Algumas pessoas têm condição de comprar estes medicamentos, mas outras não. É um absurdo as pessoas ficarem 30 dias sem medicamento — disse o vereador em discurso.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura informou que atualmente a farmacinha disponibiliza aproximadamente 191 tipos de medicamentos e que alguns estão em falta. Essas, segundo o Executivo, são encaminhadas para o Centro de Atendimento da Farmácia (CAF), que faz o levantamento e pede a licitação.

A reportagem solicitou quais medicamentos estão em falta, mas não obteve essa informação.

Disponibilidade 

Quem utiliza os serviços de uma das sete farmácias municipais pode conseguir por telefone informações sobre a disponibilidade medicamentos. A gerência de Assistência Farmacêutica, subordinada à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), atende mais de 25 mil pessoas por mês com remédios gratuitos. A informação via telefone evita filas e deslocamentos desnecessários até a unidade.

Telefones disponíveis 

Os telefones das farmácias municipais são: Farmácia Central 3222-9170, Centro de Saúde São José 3221-4316, Nossa Senhora das Graças 3221-2721, Niterói 3222-8330, Ermida 3214-6162, Farmácia Complementar 3229-6836, Farmácia do SAE 3221-3735.

 

 

Comentários
×