Fala de vereador sobre sacrifício de animais gera reações de prefeituras e associações

Ricardo Welbert  

Após o vereador Ademir Silva (PSD) afirmar, na terça-feira, que os animais soltos nas ruas de Divinópolis serão capturados e levados para sacrifício em Formiga. As prefeituras das duas cidades negam.  

A polêmica começou na terça-feira, 6, quando o vereador disse que se reuniu com o prefeito Galileu Machado (PMD) para definir estratégias para contenção da reprodução da população animal solta nas ruas de Divinópolis.  

— Estamos tendo muitos animais soltos pelas ruas da cidade. Ele [o prefeito] me garantiu que o caminhão que vai coletar esses animais já está pronto. Já foi reforçado e em alguns dias vai começar a operação “Pega Animal”. Você que é dono de animal que fica causando transtornos na nossa cidade, cuide bem dele, porque senão daqui a uns dias ele será pego e levado ao Icaraí. Se em sete dias você não resgatá-lo, ele vai lá para Formiga. Se [o dono] não for a Formiga, infelizmente ele [o animal] vai tomar outro rumo, que é o do sacrifício. Quem tem animais e gosta deles precisa fechá-los em lugar adequado. Nas ruas, além de causar acidentes, estão emporcalhando a nossa cidade — afirmou.  

Revolta  

A Sociedade Protetora dos Animais de Divinópolis (Spad) usou o Facebook para criticar a fala do vereador. Até as 16h de ontem, a publicação já tinha quase 1,2 mil compartilhamentos. A entidade postou também vídeo com o trecho no qual o parlamentar sugere a eutanásia. 

— Queremos mais informações sobre essa suposta operação “Pega Animal”. Que animais? Por que levá-los para Formiga? Sacrifício? Eutanásia como medida de controle populacional é crime! Os animais são culpados pela irresponsabilidade dos donos? Os protetores aguardam respostas! — escreveu a Spad. Até as 16h30 de ontem, a publicação tinha 18 mil visualizações e 1,2 mil compartilhamentos e 228 comentários.  

O recado de Ademir aos donos de animais soltos nas ruas chocou ainda o Movimento Mineiro em Defesa dos Animais (MMDA). A entidade repudiou dizendo que o MMDA baseia-se em uma lei estadual que estabelece a proteção dos animais. Entre os principais pontos, está a proibição do sacrifício de cães e gatos para controle populacional no estado.  

A entidade afirmou ter feito um pedido de explicações ao Ministério Público de Minas Gerais e ao Grupo Especial de Defesa da Fauna. Além disso, pediu publicamente que o PSD também se posicione sobre a afirmação de seu integrante. 

Prefeitos questionam  

Na tarde desta sexta-feira, 9, o prefeito de Formiga, Eugênio Vilela (PV), telefonou para Ademir para questioná-lo sobre a afirmação de que os animais serão levados Formiga. A conversa foi gravada em vídeo e a gravação foi publicada no Facebook.  

— Vou te pedir a gentileza de reportar na Câmara de Divinópolis que essa informação não procede. Da forma como você colocou, está repercutindo negativamente. Aqui nós temos uma política muito séria de tratamento de animais de rua e estamos tendo um problema muito grande de repercussão negativa — disse Eugênio.  

Por várias vezes, o prefeito formiguense disse que respeita o vereador, mas acha que ele precisa se retratar porque as pessoas estão perguntando sobre o que ele disse. Ressalta que Formiga não merece isso.  

— Hoje mesmo eu vou verificar isso — disse Ademir ao prefeito no telefonema mostrado no vídeo. 

Após o fim da ligação, Eugênio acrescentou: 

— Estou oficiando agora à Câmara de Divinópolis para que esse vereador possa falar de um ato de desagravo, porque o que ele disse foi uma inverdade, uma mentira. Os animais de Divinópolis não virão para Formiga, em hipótese alguma. Nós estamos na Câmara com o projeto de lei de acolhimento e estamos licitando as empresa que vai recolher os animais de rua e não admito que vereador de Divinópolis faça uma interlocução dessa — concluiu Eugênio Vilela.  

Em nota, a Prefeitura de Divinópolis informou que não tem nenhum projeto para recolhimento de cães e gatos nas ruas da cidade para sacrifício.  

— Toda e qualquer ação ligada aos animais de pequeno porte são feitos através da Vigilância em Saúde com o acompanhamento de autoridades e sociedade organizada — declarou o governo.

Comentários
×