Fabiano Tolentino aponta ‘desrespeito’ da Copasa

 

Da Redação 

O deputado estadual Fabiano Tolentino (PPS) divulgou que vem lutando diariamente contra o que classifica de “desrespeito” da Copasa, atitude que se tornou uma das principais bandeiras de sua atuação. Na última sexta-feira, 13, ele visitou a Câmara Municipal de Lavras, que realizou a Audiência Pública “CPIs e Ações Judiciais contra a Copasa”. Autoridades de diversas cidades estiveram presentes e relataram problemas enfrentados pelos usuários do serviço prestado pela empresa.

De acordo com a assessoria do parlamentar, “diante das inúmeras irregularidades, como o descumprimento de obrigações por parte da companhia, cada vez mais municípios vêm instaurando CPIs e condenando a Copasa”. Até o momento, são mais de 20 CPIs em andamento e seis já concluídas em todo o estado, conforme levantamento da assessoria.

Em Lavras, o deputado relatou que sua luta teve início em Divinópolis, quando o então prefeito Vladimir Azevedo (PSDB) tentou prorrogar por dez anos o prazo para a Copasa entregar a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) do rio Itapecerica. Tolentino informou que se posicionou publicamente contra o fato e que, “depois de muita luta, finalmente a Copasa iniciou a obra, que será de grande valia para a população, tratando o esgoto e limpando o rio”.

O parlamentar ainda chamou atenção para a situação de Bom Despacho, onde o prefeito Fernando Cabral (PPS) rescindiu a parceria firmada com a concessionária após uma série de cobranças de melhorias na prestação do serviço, que não foram atendidas. O deputado ressaltou que o caso se tornou uma referência para outros prefeitos, que enfrentam problemas idênticos, ou até mais graves.

Fabiano tem visitado várias cidades mineiras, onde vem prestando auxílio na instauração de CPIs para apurar denúncias contra a Copasa. Entre as principais reclamações, segundo ele, estão a cobrança pela coleta de esgoto em municípios onde a construção da ETE está atrasada ou sequer começou e a cobrança pelo tratamento do esgoto onde existe ETE, mas a empresa o joga de volta aos rios sem o tratamento.

De acordo com o deputado, diversas CPIs já concluíram seus relatórios, “sempre confirmando as denúncias feitas e recomendando a aplicação de punições à companhia e suspensão da tarifa de coleta de esgoto”. O deputado defende que, nesses casos, a tarifa deveria ser suspensa até a entrega das obras e cumprimento das obrigações.

Divinópolis 

No dia 5 de março, Tolentino visitou as obras da ETE do rio Itapecerica, em Divinópolis. A obra, que deveria ter sido entregue em 2016, teve seu início somente em 2018. Em contrapartida, há sete anos a população paga a taxa de coleta de esgoto, sem receber qualquer retorno do valor, conforme destacou o deputado. O atraso das obras e as reclamações de usuários do serviço motivaram a instauração de uma CPI, que concluiu que a cobrança da tarifa é abusiva, e solicitou que ela seja suspensa, além da rescisão ou adequação do contrato entre o município e a concessionária.

 

 

Comentários
×