Extrema pobreza afeta 190 famílias em Divinópolis

 

Ricardo Welbert 

Divinópolis tem 190 famílias em situação de extrema pobreza – ou seja, cuja renda per capita mensal não ultrapassa os R$ 85 por pessoa. A informação faz parte de um levantamento encomendado pelo Agora à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semds).

Essas famílias integram a lista das 2.710 que recebem o Bolsa Família, programa do Governo Federal para transferência direta de renda com o objetivo de permitir que essas famílias superem situações de vulnerabilidade e pobreza.

Cada família recebe R$ 120,21 por mês. Por ano, são 1.442,52. 

Como obter

Para ter acesso ao benefício, essas famílias precisam estar inscritas no Cadastro Único. Isso também permite que elas integrem outros programas sociais.

Dentre eles, estão: Benefício de Prestação Continuada, Tarifa Social de Energia Elétrica, financiamento imobiliário do Minha Casa, Minha Vida; Carteira do Idoso; aposentadoria para pessoas de baixa renda; isenção de pagamento de taxa de inscrição em concursos públicos; Programa Cisternas; Bolsa Verde (que apoia a conservação ambiental); Bolsa Estiagem; Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais; assistência técnica e extensão rural; Programa Nacional de Reforma Agrária; Crédito Fundiário; Carta Social; Brasil Alfabetizado; Programa de Erradicação do Trabalho Infantil; Identidade Jovem; e o Exame Nacional do Ensino Médio.

Cras

 Ainda segundo a Semds, outra opção oferecida às famílias em situação de extrema pobreza é o Centro de Referência em Assistência Social (Cras), unidade de proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social que tem por objetivo prevenir a ocorrência de situações de vulnerabilidade e riscos sociais nos territórios por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários e da ampliação do acesso aos direitos de cidadania.

— O Cras tem como público prioritário os beneficiários de algum benefício da assistência social, como, por exemplo, o Bolsa Família, o Benefício de Prestação Continuada e outros benefícios ou ainda famílias em situação de vulnerabilidade social devido à fragilização dos vínculos familiares ou com a comunidade — explica a Semds.

O principal serviço do Cras é o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família, desenvolvido principalmente em grupos busca a participação da família para promover orientações e prevenir situações de vulnerabilidade ou violência.

Já o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos busca reunir crianças, adolescentes e idosos para o desenvolvimento de ações em grupos visando à prevenção a situações de vulnerabilidade e violência. Constituem-se em espaços de convivência e fortalecimento de vínculos com a comunidade.

No caso de famílias em acompanhamento, o serviço oferece acompanhamento familiar, com planejamento conjunto entre famílias e profissionais de psicologia e assistência social da Cras, para que as pessoas superem suas dificuldades profissionais.

— Através de ações particularizadas ou em grupos com famílias usuárias dos benefícios da assistência social, discute temas que contribuam à vida família e ao fortalecimento de vínculos — pontua a secretaria.

O Município também afirma que promove ações na comunidade que estimulem a convivência comunitária, o acesso aos direitos e a participação da comunidade na construção da vida pública.

 

 

Comentários
×