Exportações crescem 9% no primeiro semestre em Divinópolis

 

Pablo Santos

As exportações concretizadas por Divinópolis cresceram 9,01% no primeiro semestre de 2019. Dados do Ministério da Economia Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDCI) confirmam que República Dominicana, Guatemala e Peru são os principais parceiros comerciais da cidade neste ano.

 De acordo com os dados do MDCI, os exportadores divinopolitanos faturaram US$ 109,27 nos seis meses de 2019. O valor é 9,01% maior na comparação com o mesmo período de 2018, quando foram exportados US$ 100,24 milhões em itens produzidos na cidade.

Os produtos semimanufaturados de ferro registram o maior percentual de exportação. Dos US$ 109,27 enviados ao exterior, 63% se referem ao item siderúrgico.

Já as barras de ferro representam 20% do valor exportado pela cidade. Outro item é o ferro fundido bruto, com 12%, de acordo com os dados do MDCI.

O maior parceiro comercial da cidade é a República Dominicana. Nos primeiros seis meses do ano, dos US$ 109 milhões exportados pelas empresas da cidade, 41% foram para o país caribenho. Já o Peru foi responsável por 31% do total enviado para o exterior e a Holanda ficou com 7%. Taiwam (4,1%) e Estados Unidos (1,9%) também são parceiros comerciais de Divinópolis neste ano.

Brasil

As exportações nacionais apresentaram valor de US$ 107,7 bilhões. Sobre 2016, o número representa crescimento de 19,3%, pela média diária. Já as importações somaram US$ 71,5 bilhões, 7,3% de aumento em relação ao mesmo período do ano anterior (US$ 66,6 bilhões). Com isso, corrente de comércio alcançou US$ 179,2 bilhões, o que equivale a 14,3% em relação ao primeiro semestre do ano passado (US$ 156,9 bilhões), pela média diária.

No acumulado de janeiro a junho deste ano, houve crescimento nas exportações de produtos básicos (+27,2%), semimanufaturados (+17,5%) e manufaturados (+10,1%). Em destaque, o crescimento de receita de petróleo em bruto (+128,2%), no grupo dos básicos, aumento nas vendas de semimanufaturados de ferro/aço (+70,6%), além do comércio de óleos combustíveis (+122%) e veículos de carga (+59,2%) e de passageiros (+52,8%), entre os manufaturados.

Os principais países de destino foram: China (US$ 28,1 bilhões), Estados Unidos (US$ 12,9 bilhões), Argentina (US$ 8,3 bilhões), Países Baixos (US$ 4,7 bilhões) e Chile (US$ 2,5 bilhões).

 

Comentários
×