Exportações crescem 19%

 

Pablo Santos

Os negócios com o mercado externo concretizados por Divinópolis cresceram 19,31% de janeiro a julho, de acordo com os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Já no Brasil, as exportações caíram quase 5% nos primeiros sete meses.

Conforme os números apresentados pela Secex, de janeiro a junho, as vendas divinopolitanas assinalaram US$ 134 milhões. No mesmo período do ano passado, foram US$ 112 milhões, ou seja, crescimento de 19,31%.

Os valores exportações da cidade representam 1% do total negociado por Minas Gerais. O desempenho coloca Divinópolis na 27º do ranking mineiro e 174º colocação no país nas vendas para o mercado externo.  Conforme os dados da Secex, nos primeiros sete meses do ano, 27 empresas divinopolitanas exportaram seus produtos.   

Parceiros

A República Dominicana é o principal parceiro comercial de Divinópolis, acompanhado do Peru. Dos US$ 134 milhões exportados por Divinópolis, 52% é enviada para o país caribenho. A expansão das exportações de janeiro a julho desde ano com o mesmo período do ano passado com a República Dominicana foi de 124%, apontou a Secex.

Já 24% dos negócios divinopolitanos exportadores foram para o país sul-americano. Com o Peru o aumento das compras foi de 67%, segundo a Secex.

Conforme os dados do governo federal, 95% das exportações são de produtos siderúrgicos. 65% dos itens são de semimanufaturados de ferro. As barras de ferro ou aço não ligado representam 17% na pauta das exportações e o ferro fundido chega a 10%.   

Brasil

No Brasil, no acumulado deste ano, de acordo com a Secex, as exportações somaram US$ 129,896 bilhões, com média diária de US$ 889 milhões, representando queda de 4,7% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Na comparação com julho do ano passado, as exportações tiveram queda de 14,8%. 

Ainda nas exportações, houve recuo de 16,7% na venda de produtos básicos, de 12,3% de produtos manufaturados e de 4,6% de semimanufaturados. As exportações em junho somaram US$ 18,04 bilhões queda de 0,8% na comparação anual.

 

Comentários
×