Exonerado para votação, Hilton Aguiar deve voltar ao cargo na próxima semana, diz Prefeitura

Maria Tereza Oliveira         

Após participar da votação que livrou o prefeito Galileu Machado (MDB) de outro pedido impeachment nesta quinta-feira, 17, Hilton de Aguiar (MDB), deve voltar à chefia da Secretaria de Agronegócios na próxima semana. Pelo menos é o que afirmou a assessoria de comunicação da Prefeitura ao Agora.

A exoneração do secretário de Agronegócios foi publicada na edição da última quarta-feira, 16, no Diário Oficial, na véspera da votação do impedimento do prefeito.

A destituição temporária de Hilton aconteceu porque ele é suplente do vereador Edsom Sousa (MDB), requerente do pedido. No entanto, a situação não agradou ao autor da denúncia, que protocolou, no mesmo dia em que a destituição foi divulgada, um requerimento para impedir que Hilton assumisse a vaga de suplente. Porém, de nada adiantou.

Hilton foi um dos 12 vereadores que votaram contra o pedido. Além dele, Adair Otaviano (MDB), Ademir Silva (PSD), César Tarzan (PP), Dr. Delano (MDB), Eduardo Print Jr. (SD), Josafá Anderson (CDN), Marcos Vinícius (Pros), Nego do Buriti (PEN), Renato Ferreira (PSDB), Raimundo Nonato (PDT) e Zé Luiz da Farmácia (PMN) votaram contra.

Já Janete Aparecida (PSD), Matheus Costa (CDN), Roger Viegas (Pros) e Sargento Elton (Patriota) votaram a favor do impeachment.

Para que o pedido fosse aceito, era necessária a maioria qualificada, ou seja, pelo menos 12, dos 16 vereadores deveriam votar favoráveis. O presidente da Câmara, Rodrigo Kaboja (PSD), só votaria em caso de empate.

Comentários
×