Exerçamos a cidadania!

Vanir Alves de Andrade

Recentemente a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que está em curso uma pandemia do novo coronavírus, que transmite-se pelo ar e pelo contato, causando infecções respiratórias no ser humano a ponto de poder levá-lo a óbito. 

A transmissão desse vírus entre as pessoas tem um crescimento exponencial, o que significa dizer que, quanto maior a quantidade de pessoas infectadas, mais rápido a quantidade contaminada crescerá ou, em outras palavras, maior será a velocidade de transmissão.  

Esse crescimento exponencial de contaminação pelo coronavírus preocupa a todos e, principalmente, os especialistas. No Brasil, se o número de casos dobrar a cada três dias, haverá cerca de 200 mil casos em 30 dias. Isso é matemática, não vaticínio.

Infelizmente, o Brasil, assim como qualquer país do mundo, não possui quantidade de leitos de UTI e estrutura hospitalar suficientes para atender à demanda de casos graves de pacientes infectados pelo coronavírus caso haja um pico de contaminação muito elevado em curto prazo.

Entretanto, a contaminação pelo coronavírus pode ser mais lenta. E, por mais que dessa forma a pandemia demore mais tempo para terminar, os benefícios alcançados serão inúmeros, pois, além de diminuir o número de contaminações, evitando-se o colapso da rede hospitalar, os pacientes internados receberão melhor tratamento, o que reduz a agressividade da doença e o número de fatalidades.

Mas para isso acontecer temos que adotar, principalmente, o “isolamento social”, que consiste basicamente em mudarmos, por um período, o nosso comportamento habitual, evitando-se aglomerações em espaços públicos e deslocamentos, quando possível, no nosso dia a dia.

Além disso, devemos seguir e compartilhar com a família, amigos e grupos de aplicativos de mensagens todas as recomendações que as autoridades sanitárias estão divulgando na mídia.

Essa mudança de atitude é para o bem de todos e, sobretudo, dos idosos com comorbidades. Ao agirmos assim, estaremos contribuindo, consideravelmente, na redução do aparecimento de novos casos de infecção e, consequentemente, derrotando o flagelo do coronavírus.

Vamos nos cuidar!

vaniralvesandrade@yahoo.com.br

Comentários
×