Eu sei a cura...

Amnysinho Rachid 

     Aí ele chegou e trouxe a grande transformação, tempos jamais vividos e nunca imaginados. O medo tomou conta e nos trancamos, nos lavamos, aprendemos a nos higienizar, elegemos o álcool em gel nosso melhor amigo, descobrimos que no mundo não existe diferença, todos podem morrer do mesmo jeito. Aprendemos a socializar com a turma mais próxima e enxergar as dificuldades e qualidades de cada um. Viramos, por ora, acusadores e, ao mesmo tempo, clementes a Deus. Nunca se rezou tanto e nunca nos analisamos com tanta claridade. Com certeza viramos novas pessoas, nascemos para um novo momento, FELIZ MUNDO NOVO.

      Mas com certeza esta pandemia nos trouxe uma maneira diferente de encararmos a vida. Aprendemos a dar valor ao que é mesmo importante, valorizar quem te valoriza, ser feliz e fazer quem está com você deliciosamente amado.

      Aprendemos que a pior doença está na cabeça dos homens e que o melhor remédio no coração.

      Depois de um longo e angustiante período, começamos de novo a ter um pouco de vida, mas notamos que já tem uma turma mais afoita e atrapalhando os procedimentos de prevenção.

      Começamos de novo a encontrar com nossos amigos e notei que aí está a cura. Como estava carente de horas a fio com uma turma do bem! Este período foi um grande divisor de águas, analise se vale a pena encontrar e viver grandes momentos com pessoas que não te acrescentam nada, bloqueadas ‒ isso mesmo, faça da sua vida o que fazemos no celular: não quer atender aquela ligação? Bloqueie. 

      Outro dia, saímos com uma turma de queridos amigos, fomos celebrar a vida ‒ eu, minha Cleide, Leila, Juliano, Romilda, Ellen, Sheila e Renato. Ali encontrei o meu melhor remédio: felicidade, deliciosas risadas e muito amor sem interesse. Ali, notei de como estava carente desses momentos.

      Nesta pandemia também aglomeramos modestamente, como mandam as normas, com uma deliciosa turma. Claudinha, Maísa, Pintinho, Toninho, Cidinha, Júlio, Thais, eu e minha Cleide nos unimos com um delicioso intuito de sermos felizes, transformar nossos encontros em deliciosos e memoráveis momentos. Ali o que não falta são grandes experiências gastronômicas, apesar da amiga Maísa não ser muito boa neste quesito, mas passamos por cima.

       Fica aí um alerta: não perca tempo com pessoas que não te acrescentam nada, não guarde mágoa, trabalhe com você, aprenda a filtrar ‒ seja amigos, familiares, pessoas que você convive ‒ sempre quem vale a pena amar, pois o verdadeiro gostar te massageia a alma. O mais importante é amar e ser amado... Felicidade sempre!

 E continuo aqui, distribuindo o bem querer. TOK EMPREENDIMENTOS, rua Cristal, 120, Centro.                                

 

Comentários
×