Etanol é o preferido entre os motoristas

Jorge Guimarães

Se a Petrobras continuar com a atual política de preços dos combustíveis, vai ser difícil o consumidor brasileiro deixar de abastecer com o etanol. No último dia 28, a estatal anunciou novo aumento de 3,5 %, na gasolina, válido em suas refinarias, sendo que o último havia ocorrido há 15 dias. 

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) considera que o etanol deve custar, no máximo, 70% do preço da gasolina para ser vantajoso. E, segundo pesquisa realizada em dez postos de combustível na última semana em Divinópolis, a ANP constatou que o etanol está 64% mais barato em relação ao custo da gasolina.

Os valores entre os pontos de vendas variam muito, o que mostra que é preciso pesquisar muito antes de abastecer seu veículo. Na cidade, o preço médio do etanol ficou em R$ 3,06, o mais barato em R$ 2,89 e o custo mais alto fixado em R$ 3,19. Já a gasolina registrou o valor médio em R$ 4,71, o mais baixo em R$ 4,56 e o mais alto em R$ 4,89.

Minas Gerais         

E ainda segundo dados da ANP, os preços médios do etanol estão mais competitivos em cinco estados, que são Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, São Paulo e Paraná. Em Minas Gerais, com um percentual que chega aos 62%, cerca de 65 a 70% dos motoristas abasteceram nos últimos meses e continuam abastecendo com etanol.

— Nos últimos dias, de 20 motoristas que abasteceram aqui, 17 preferiram etanol. Só quem não tem carro flex, que hoje é uma frota bem baixa, está usando a gasolina como combustível — revela o frentista João Luiz Silva, de um posto da região central da cidade.

Abastecer não está sendo tarefa fácil para os donos de veículos, que estão se virando nos 30, e até mesmo cortando o supérfluo e o lazer.

— No meu caso, o trajeto de minha moradia e meu local de trabalho é curto. Somente quando viajo, umas duas vezes no mês, é que completo o tanque. Mas, como meu automóvel é flex, o etanol está sendo a minha opção há pelo menos uns dois meses — avalia o empresário Paulo Roberto dos Santos.

Comentários
×