Estrela do Oeste Clube

Welber Tonhá 

Estrela do Oeste Clube

Muitas mudanças estão acontecendo no Estrela do Oeste Clube. José Alonso (a quem admiro e respeito muito) solicitou afastamento para cuidar de sua saúde, e o Wandinho, seu vice-presidente, assumiu. Com isso, algumas mudanças estão acontecendo: foi criado um comitê gestor (do qual faço parte) e me coube, dentre outras tarefas, assumir a gestão cultural do clube, o que aceitei e o farei de muito bom grado. 

Roda de Autores

Está acontecendo a Roda de Autores – Ciranda Cultural, organizada pela Boutique do Livro, e hoje, às 19h, tem a live “Produção Cultural em Tempos de Pandemia: Uma Conversa”, com a presença de Túlio Damascena e Antônio Caeiro, no Facebook e Youtube da Boutique do Livro. E amanhã, às 19h, tem a live “Para ler Clarice Lispector”, com a presença de Luís Lopes 

História de Divinópolis

Com o aniversário chegando, vou começar a contar um pouco sobre a história de nossa cidade. Neste primeiro momento, uma linha do tempo com datas e fatos iniciando no século XVIII:

1710 - O governador das Minas, Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho, intima os "Candidés" a serem "proscritos voluntários", afastarem-se de Minas. Vieram, então, se esconder em nossas terras (entre Barbacena e Pitangui). Depois de muito andar, instalaram-se à Cachoeira Grande, local que denominaram Passagem do Itapecerica.

1730 - Anistia de Manuel Fernandes Teixeira (Candidés), que se estabelece aqui, definitivamente. 

1737- O primeiro morador constrói uma capelinha em homenagem a São Francisco de Paula.

 1767- É erguida a Igreja, tendo como padroeiros o Divino Espírito Santo e São Francisco de Paula. 

1770 - Manuel Fernandes Teixeira passa, em Mariana, uma escritura de doação de "40 alqueires de terra e um lote de casas" à igreja do Divino Espírito Santo e São Francisco de Paula. 

1778 - A família dos "Araújos", portugueses, instala-se no "Cemitério dos Vivos". 

Na próxima  edição, fatos que marcaram o século XIX.

 

109 Histórias Marcantes

Dando continuidade, em primeira mão, vou citar mais alguns nomes que serão homenageados no livro “109 Histórias Marcantes”. Juntam-se aos primeiros 29 que falei semana passada os seguintes imortalizados, com suas histórias: Regina Santos, Antonio Beirigo, Laerte, Luiz fotógrafo, Fabiano Tolentino, professora Maria Lúcia, Carlos Expedito Marques, professor Antonio de La Pedraja, professor José Heleno, Tulio Mourão, Isaac Silveira, Cleusa Resende Daimond, Zizi faria, Ílio Milani, Geraldo Gualberto da Fonseca – o Ferreira, Helena Maria Lopes, Zé Milton, monsenhor Evaristo, Sidnei de Andrade Silva, Paulinho da Bike, Peixe Gato, Geraldo Kibigui, Marli Rodrigues, Zé Capitão, Sávio Fernatti, Benedito Custódio, Fernando Camillo – Durok, Alaor Paiva e professora Maria Aparecida Lacerda. Nas próximas edições eu conto mais.



Tem pauta para sobre a cultura? Envie para welbertonha@gmail.com

Welber Tonhá e Silva 

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

 

Comentários
×