Estado nega circulação de nova variante, mas aguarda resultados, inclusive em Divinópolis

Após quase um ano desde o primeiro caso em Minas, secretaria analisa possíveis mutações

Da Redação

O avanço da covid-19 no mundo trouxe diversas consequências para a saúde: sobrecarga dos sistemas de atendimento, ampliação de leitos, restrições de funcionamento do comércio… Agora, o governo de Minas avalia possíveis variantes, consideradas mais transmissíveis, da doença no estado. As amostras testadas até o momento revelam preocupação, mas o Estado ainda vê o tema com cautela.

Situação

O Agora questionou a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) sobre o assunto. Apesar dos indícios, o órgão não confirma a circulação da variante no estado.

— Ainda não é possível afirmar que a nova variante do coronavírus P1 está em circulação em Minas Gerais — informou.

Segundo a secretaria, “a situação é monitorada pelo Laboratório Central da Fundação Ezequiel Dias (Lancen/Funed)”, que já detectou sinais de mutação britânica em amostras coletadas no estado. Os pesquisadores também identificaram nova variante do vírus em seis dos 18 pacientes com covid-19 transferidos  no fim de janeiro de Manaus, no Amazonas, para tratamento em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Dos pacientes, dez receberam alta e oito morreram.

— O Laboratório Central da Fundação Ezequiel Dias (Lancen/Funed) tem realizado, desde o dia 21/1, a vigilância genômica para identificar possíveis mutações do vírus. A nova linhagem contém uma composição única de mutações, que ocorrem principalmente na proteína spike, responsável pela entrada do vírus nas células humanas — informou.

Transferência

Em razão da situação crítica do sistema de saúde de Coromandel e Monte Carmelo, cidades no Alto Paranaíba e Triângulo do Norte, Divinópolis recebeu, nos últimos dias, 12 pacientes. Um deles, de 76 anos, morreu na última terça-feira, 16, em razão da doença. Diante do cenário, a SES esclarece que amostras devem ser coletadas e posteriormente testadas para análise de possíveis mutações do vírus.

— Nos casos dos pacientes encaminhados para Divinópolis, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) informa que notificou o Município sobre a coleta de amostras para realização do teste RT-PCR e, posteriormente, se possível, será feito o mapeamento genômico das amostras coletadas, para o qual ainda não há uma data exata do resultado. Em relação ao estado clínico dos pacientes, a SES não divulga essa informação — destacou.

Estado

Com a sobrecarga em determinadas cidades e aumento de 3,2% no número de casos confirmados e 4,1% nos óbitos por coronavírus na última semana, o governo estadual determinou a suspensão das cirurgias eletivas não essenciais. A medida, válida inicialmente por 15 dias, não se aplica a pacientes cardíacos e oncológicos de maior gravidade. 

— É uma ação preventiva para evitar o esgotamento da rede pública de assistência — justificou.

A medida, conforme o governo, tem como objetivo minimizar a sobrecarga no sistema de Saúde para o atendimento de pacientes com covid-19. 

— A ação também vai permitir que a secretaria tenha mobilidade no planejamento estratégico de readequação e redistribuição de pacientes, equipes médicas e equipamentos para regiões em que a incidência da doença está maior — afirma o chefe de gabinete da SES-MG, João Pinho.

 





Comentários
×