Estado enfrenta nova paralisação de servidores

 

 

Ricardo Welbert

 O funcionamento das escolas estaduais em Divinópolis deve ser impactado hoje pela paralisação de servidores convocada pelo Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação de Minas Gerais (Sind-Ute-MG). Eles exigem que o Governo de Minas pare de parcelar os salários e que faça os pagamentos no 5º dia útil de cada mês.

O ato ocorre na data em que a entidade chama de "Dia Estadual de Luta", que teve critérios definidos em parceria com o Sindicato dos Eletricitários de Minas (Sindieletro-MG). Ambos afirmam que o Estado foi notificado da paralisação.

De acordo com a diretora do Departamento de Políticas Sociais do Sind-Ute-MG em Divinópolis, Maria Catarina Laborê, a previsão do pagamento do salário do mês de maio ainda não foi divulgada. Ela afirma que tem havido constante instabilidade sobre o pagamento dos salários.

— Queremos que o governo retome os pagamentos no quinto dia útil. Atualmente, eles têm sido divididos em três parcelas. A terceira chamada do mês de maio foi paga há três dias — diz.

Até o fim da tarde de ontem, o sindicato não sabia informar quantas das 34 escolas estaduais de Divinópolis confirmaram adesão ao protesto. Esses estabelecimentos concentram cerca de 120 servidores. Alguns deles irão hoje a Belo Horizonte.

 Outro lado

 Em nota ao Agora, a Secretaria de Estado de Educação informou que foi notificada pelo Sind-Ute-MG sobre a paralisação das atividades da categoria e irá acompanhar a adesão das escolas estaduais ao movimento. Um balanço com o total de escolas que paralisaram deverá ser divulgado ao fim do dia.

 

 

Comentários
×