Estado deve se posicionar sobre Hospital Regional ainda neste ano

Consórcio de 54 municípios está em busca de parcerias para viabilizar término das obras

Matheus Augusto

As obras de término do Hospital Regional Divino Espírito Santo, em Divinópolis, podem ganhar fôlego em breve. O Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste para Gerenciamento dos Serviços de Urgência e Emergência (CIS-URG), composto por 54 municípios, está em conversas adiantadas com o Governo do Estado para assumir a gestão da unidade. Segundo o secretário executivo do consórcio, José Márcio Zanardi, o planejamento completo, desde o término das obras até a administração do hospital, deve ser apresentado oficialmente até o próximo dia 31. A expectativa é de que a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) já se posicione sobre o projeto e defina os próximos passos também na data.

As obras do Hospital Regional tiveram início em 2010, mas foram paralisadas em 2016, após o governo estadual deixar de repassar o valor da construção.

Vazios assistenciais

O secretário do consórcio se reuniu na segunda-feira, 2, com o superintendente Regional de Saúde, Alan Rodrigo da Silva, e o secretário de Saúde, Amarildo Sousa, para tratar dos avanços na cidade e macrorregião Oeste. José Márcio citou como exemplo a integração dos sistemas de regulação, que permitiu uma maior agilidade no tempo de resposta e transferência dos pacientes. Porém, segundo ele, mesmo com os hospitais exercendo a integralidade de seus atendimentos e um sistema de regulação eficiente, ainda existirão dificuldades.

Mas fica uma questão, pois ainda que isso tudo funcione de forma organizada, nós teremos vazios assistenciais dentro nossa macro que esses hospitais não são capazes de suprir. Daí a necessidade do Hospital Regional, porque ele precisa entrar em funcionamento para suprir a deficiência de leitos — afirmou.

Zanardi voltou a ressaltar que o CIS-URG, através de uma decisão dos 54 municípios membros, tem interesse em assumir a gestão do Hospital Regional e vem discutindo essa possibilidade com o Estado.

O Hospital Regional é uma luta de toda a população da região. Terminar essa obra tem uma importância muito grande para a assistência hospitalar no Centro-Oeste, uma vez que os leitos que nós temos na região não são suficientes, assim como as clínicas, para a integralidade da assistência no território. O CIS-URG, através dos 54 municípios, se habilitou ao processo junto ao governo do Estado para que pudesse apresentar propostas desde o término da construção até a administração e custeio desse Hospital Regional. Então nós temos feito isso, cumprindo o passo a passo que está dentro das regras do edital — declarou Zanardi.

Necessidades

da região

O secretário executivo ainda contou ter se reunido com representantes do governo estadual na última semana, quando, inclusive, apresentou a proposta da Prefeitura de cessão do patrimônio do Hospital Regional ao CIS-URG, para o andamento do processo. Além disso, ele explicou que, atualmente, o consórcio analisa recursos de financiamento do hospital, como a habilitação de programas do governo.

Estamos discutindo com a Superintendência Regional de Saúde [SRS], o colegiado de secretários municipais de saúde, sobre o perfil desse hospital. Estamos trabalhando junto com a UFSJ para fazer um levantamento de toda assistência hospital da região, bem como suas habilitações e a forma de financiamento, seja através de recursos federais, estadual e dos municípios, para verificarmos a possibilidade de custeio dos recursos SUS dentro do Hospital Regional. Claro que, mesmo o CIS-URG apresentando qualquer tipo de proposta de administração do Hospital Regional bem como o término de sua obra, não isenta os responsáveis pela política da assistência hospitalar, que é o governo federal e do Estado, com suas respectivas participações naquilo que lhes compete dentro do financiamento público do Sistema Único de Saúde — explicou.

O representante do consórcio na reunião contou que o governo ainda não discutiu valores, mas que pode, eventualmente, contribuir financeiramente para o término das obras.

Comentários
×