Estado confirma retomada das obras do Hospital Regional

Da Redação

Apesar da crise financeira agravada com o surto de coronavírus em Minas Gerais, o governador Romeu Zema (Novo) anunciou a disponibilização de recursos para a conclusão do Hospital Regional Divino Espírito Santo, em Divinópolis. A verba, conforme anunciado ontem por Zema, será transferida pela Vale, como forma de compensação pelo rompimento da barragem de Brumadinho,responsável pela morte de mais de 250 pessoas, em janeiro do ano passado.

O hospital regional na cidade começou a ser erguido em 2010. No entanto, em 2016, o governo do Estado interrompeu os repasses para o financiamento da obra e, desde então, ela se encontra parada.

Anúncio

O governador ainda não visitou Divinópolis desde que foi eleito, mas relatou ter recebido, em outras viagens, cobranças para a conclusão de hospitais regionais parados no estado. 

— Eu queria ainda anunciar aqui, preliminarmente, uma grande notícia para todos nós, mineiros. Desde que eu assumi o governo de Minas, uma das questões que eu sou mais questionado em todas as viagens que eu faço ao interior do estado, principalmente, é com relação aos hospitais regionais — contou.

O primeiro anúncio oficial veio neste mês, quando Zema confirmou recursos para a entrega da unidade em Governador Valadares. Agora, o objetivo é garantir o financiamento das outras localidades.

Autonomia

Durante a coletiva, realizada por meio das redes sociais, Zema ainda discursou sobre a situação do estado no enfrentamento ao coronavírus. Até ontem, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), Minas Gerais contava com 1.758 casos confirmados, mais de 80 mil suspeitos e 80 mortes testadas positivas para a doença.

— A situação continua sob controle. A utilização das UTIs [Unidades de Terapia Intensiva], que é o fator crítico, continua em 4%, ou seja, se nós tivermos mineiros precisando ser atendidos, teremos leitos disponíveis — afirmou Zema. 

Sobre a abertura parcial do comércio em algumas cidades, como é o caso de Divinópolis, o líder do Executivo estadual voltou a reforçar a autonomia dos prefeitos.

— Como governador do Estado, estou muito preocupado de que a reativação da economia seja feita da forma mais segura e criteriosa possível. Aquele prefeito que julga que na sua cidade o números de casos e óbitos proporciona uma margem de segurança, ele deve tomar a decisão. Cada cidade de Minas é um caso distinto — comentou.

Pacotão

Na oportunidade, o governo do Estado também anunciou um pacote de obras e ações no valor de R$ 645 milhões.

— Deste valor, R$ 589 milhões são oriundos de antecipações de valores de reparação e estavam depositados em juízo por mineradoras a título de garantia em razão dos rompimentos das barragens em Brumadinho e em Mariana. Os outros R$ 56 milhões serão complementados pelo Tesouro Estadual — informou o Estado. 

Ainda segundo o governador, a prioridade é reforçar o sistema de Saúde.

Comentários
×